Ao falar sobre marketing para igrejas, surgem muitas questões associadas à definição de marketing e sua aplicação. Segundo Márcia Valéria Paixão, pós-doutora em Antropologia Cultural, o marketing tem como “ objetivo fundamental atender às necessidades identificadas, ou seja, é mais do que simplesmente vender”. 
Tendo isso em vista,  podemos iniciar lembrando que já é comum igrejas possuírem logotipos, por exemplo. Além de estarem em programas de rádio e televisão, divulgarem ações (como novenários, festas da padroeira, etc) em outdoors, banners e até em redes sociais.
Mas o que isso tem a ver com a definição de marketing? Ou com a adaptação para a estratégia em ambiente digital? 

Primeiramente, surge a necessidade de visualizar o marketing em ambiente digital como um mecanismo que pode colaborar na tarefa de evangelização da igreja, com ética e princípios baseados na moralidade cristã. Isso significa que o marketing digital pode sim ser uma das melhores maneiras de evangelizar e chegar até novos fiéis!

“E disse-lhes: ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” (Marcos 16:15)
Em resumo, podemos reivindicar que utilizar as redes sociais (Youtube, Facebook, Instagram) e blogs para propagar a mensagem do evangelho. Como também  encorajar os indivíduos a desenvolverem um relacionamento pessoal com Jesus Cristo. Porém, isto deve ser feito a partir de uma comunicação respeitosa e com consciência de que a fé não é uma mercadoria