A contabilidade é dividida em diversas áreas, sendo a contábil, tributária, tesouraria e outras, cada uma dessas divisões possuem suas peculiaridades e sempre estão inovando para obter o melhor controle de suas demandas.
Conforme a legislação sofre alterações, algumas áreas da contabilidade também são impactadas com essas mudanças, por isso, é necessário sempre estar atento a todas essas possíveis atualizações e manter sempre a contabilidade para igreja em dia.

O ICMS deverá ser pago pela igreja no ano de 2020?

Até o ano anterior, vigorava a Lei Complementar 160/17, que já regulamentava um prazo adicional para isenção de ICMS para o terceiro setor, ou seja, templos religiosos, entidades beneficentes, casas de reabilitação entre outros.
No dia 31 de Dezembro de 2019, o presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou a nova Lei Complementar 170/19 que foi publicada na sexta-feira dia 20 de Dezembro de 2019 no Diário Oficial da União. Com essa nova lei, foi prorrogada a isenção de ICMS para o terceiro setor até a data de 31 de Dezembro de 2032.
O projeto de lei foi apresentado pela deputada Clarissa Garotinho e sua aprovação ocorreu no mês de Maio de 2019 na Câmara dos Deputados.
Fonte: https://www.camara.leg.br/noticias/628598-lei-que-prorroga-isencoes-fiscais-a-entidades-religiosas-e-beneficentes-e-sancionada/

Alguma alteração em relação às obrigações acessórias?

Em relação às obrigações acessórias, nada muda por enquanto, mas é necessário se manter atualizado para que, quando surgir alguma novidade ou novo leiaute, a igreja estar apta para entregar as informações conforme a lei exige.
Atualmente as obrigações acessórias que as igrejas devem declarar são:

  • ECF;
  • ECD;
  • EFD Contribuições;
  • DCTF;
  • DIRF;
  • RAIS;

É necessário atentar-se para verificar corretamente em como a igreja está enquadrada em suas atividades e lançamentos, para entender quais obrigações deverão ser entregues, pois em alguns casos, poderá haver exceções.
Por exemplo, se a igreja não possuir funcionários registrados, será necessário entregar a RAIS com todas as informações dos funcionários, pagamentos etc. Se não houverem funcionários, será necessário gerar a RAIS Negativa para apresentar que não houve nenhum registro em folha de pagamento.

Os lançamentos contábeis sofreram alterações?

Até o momento desta publicação não houveram alterações nas normas contábeis para os lançamentos no livro da igreja.
Contudo é importante que a igreja mantenha todos os seus registros contábeis em dia e atualizados, pois caso haja a necessidade de alguma fiscalização, todas as informações estarem disponíveis de forma rápida e precisa.
As entradas e saídas da igreja também devem ser representadas da forma correta no livro e também não pode esquecer de realizar a DRE, dessa forma será possível avaliar de forma completa todas as despesas e doações que a congregação receber.

Mesmo com toda a tecnologia ainda é necessário a igreja ter um contador em 2020?

Com toda a certeza é necessário que a contabilidade para igreja seja feita por um contador. Pois apenas um profissional poderá realizar todas as obrigações necessárias para que esteja dentro da lei e a entidade não seja advertida pela Receita Federal do Brasil.
Além disso, para realizar a entrega de diversas documentações para a RFB (Receita Federal do Brasil), é necessário possuir um registro de contador, o CRC, que é a assinatura que estará presente no SPED e junto com todas as demais informações da igreja.
Conclusão
Por mais que esse ano não tenham ocorrido alterações significativas no que diz respeito à legislação para igrejas, é importante que os contabilistas e dirigentes das igrejas estejam sempre atentos às informações e mudanças que possam ocorrer durante o ano.
Dependendo de quando houver alguma atualização na lei, ela poderá entrar em vigor ainda este ano, por isso fique sempre atento para as notícias e publicações no Diário Oficial da União (DOU).