Autor: SerDivino

Como comercializar sua igreja sem perder sua mensagem

Como comercializar sua igreja sem perder sua mensagem

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 1 minuto

Publicidade para sua Igreja. Para utilizar o marketing, você precisa criar relacionamentos genuínos com seus membros.

Uma vez que você estabeleceu essas conexões mais profundas, sua comunidade da igreja se sentirá compelida a compartilhar sua mensagem para que aqueles ao seu redor se sintam inspirados.

Como você pode ver, o marketing de sua igreja nos dias de hoje não é ruim. Veja neste artigo que falamos sobre marketing para igrejas. Ao se comunicar de forma eficaz e criar relacionamentos duradouros, você colocará sua igreja em posição de crescer exponencialmente. 

Não se esqueça de manter a sua autenticidade autêntica e tenha cuidado ao se apresentar como agressivo. Eu sei que o marketing costumava conjurar a ideia ruim para a Igreja, mas isso não é mais a realidade das Igrejas Brasileiras, durante muito tempo, as Igrejas principalmente nos Estados Unidos, já trabalham profissionalmente com o posicionamento comercial, respeitando as diretrizes da Igreja, agora esta postura é uma realidade no Brasil, embora existam Igrejas que ainda não concordam com este tipo de atitude.

Preparamos uma série de artigos especiais para lhe ajudar com esta questão:

Você tem alguma dúvida? Gostaria de recomendar algo que você já faz em sua Igreja?

Compartilhe conosco para que possamos lhe ajudar a construir uma comunidade ainda mais esclarecida.

Gostou? Compartilhe!
6 dicas para fazer sua igreja familiar

6 dicas para fazer sua igreja familiar

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 4 minutos

Pense em como fazer sua Igreja familiar, pense em como diferentes crianças estão crescendo nos dias de hoje. Tenho certeza que você conhece pelo menos uma ou duas crianças que podem usar seu iPhone ou iPad melhor do que você, apesar de ser uma fração de sua idade.

Mesmo que as crianças agora tenham brinquedos mais frios do que os de antigamente, como crianças, eles ainda estão facilmente entediados e muitas vezes desconectados emocionalmente.

Para muitas crianças, a maioria das interações ocorre online e não pessoalmente. Parece muito solitário, n;ao é mesmo?

Para piorar as coisas, o que acontece se essas crianças não tiverem amigos na escola? E se os amigos da escola começarem a escolher atividades que vão contra sua fé? A quem podem recorrer?

A resposta: a comunidade da igreja.

Como líderes ministeriais, é importante para nós fornecer uma saída segura e amorosa para crianças e suas famílias. Eles devem sentir que são parte de uma família maior, uma que sempre terá algo acontecendo por eles.

Sua igreja, um lugar aberto e acolhedor para se conectar com amigos e encontrar Deus, será onde eles querem estar.

Gostaríamos de lhe mostrar algumas dicas sobre como você pode fazer sua igreja familiar e atrair novas famílias para a sua igreja fazendo exatamente isso: criando um lugar que as crianças e as famílias desejam estar.

Programas para jovens na Igreja

Um Programa de Jovens é a maneira perfeita de começar a atrair mais famílias. Se a sua igreja já tem um, talvez seja um bom momento para uma atualização.

As crianças dependem de seus círculos sociais para identificar quem são e como eles se encaixam. É muito fácil para eles se alinhar com a multidão errada.

É por isso que um programa para jovens pode ser tão benéfico.

Ao dar às crianças a oportunidade de socializar com outras crianças baseadas na fé da mesma idade, eles são mais propensos a escolher atividades saudáveis ​​em vez de tomar decisões precárias com o grupo errado de amigos.

Seu programa de jovens pode hospedar eventos pré-planejados (noite de karaoke, noite de jogo de tabuleiro, etc.) ou apenas ser um lugar para sair e se divertir.

Você pode mesmo decidir planejar saídas em conjunto: eventos esportivos, salas de cinema, pistas de boliche, etc. são todas opções maravilhosas.

Crie programas para jovens para diferentes faixas etárias, para que os adolescentes não sintam vontade de sair com crianças e vice-versa.

Depois disso, você pode promover seus encontros de jovens semanais em suas plataformas favoritas de redes sociais para atrair outras crianças e famílias para o evento.

Incentive a comunidade da igreja a compartilhar o evento para que mais famílias se juntem. Você pode apostar que isso vai causar uma impressão aos pais.

Eventos familiares na Igreja

Falando sobre eventos, as famílias estão sempre procurando coisas para fazer juntos e é por isso que sua igreja deve hospedar encontros familiares.

Para começar, você deve realizar um evento centrado na família pelo menos uma ou duas vezes por mês.

Esta é uma ótima maneira para pais e filhos interagir com a comunidade. Também mantém as crianças fora de problemas.

Pense em realizar eventos de caridade para que todos possam trabalhar juntos ajudando aqueles que precisam. Não só isso dará às crianças um senso de realização, mas também lhes ensinará compaixão e empatia para com aqueles menos afortunados.

Alguns outros eventos amigáveis ​​à família que você deseja manter em sua igreja incluem:

  • Ovo de Páscoa / caça ao tesouro
  • Festival sazonal
  • Concerto ao ar livre
  • Noite de jogo (jogos de tabuleiro ou Wii)
  • Noite de karaokê
  • Noite de arte
  • Dia de Caridade (escolha uma instituição de caridade e encontre uma maneira de ajudar)
  • Noite de filme
  • Noite de artesanato
  • Limpeza da vizinhança
  • Caminhada da saúde (1k – 2k)
  • Sorvete social (Faça sorvete artesanal ou compre alguns para as crianças)
  • Passeio no parque

Os eventos mais centrados na família que sua igreja planeja, mais você atrairá famílias que estão procurando se envolver com sua comunidade. 

Encontros para pais

Outra maneira de construir um ambiente familiar é dando aos pais uma pausa. Ao mesmo tempo que você realiza seu programa de jovens ou eventos especiais para crianças, você também pode realizar um evento separado para que os pais participem.

Isso dá aos pais uma pausa muito necessária de assistir seus filhos e lhes permite socializar com outros pais da comunidade.

Algumas idéias divertidas para os pais incluem:

  • Noite de pintura
  • Noite de leitura
  • Noite de filme
  • Almoço ou café (uma chance para os pais se relaxarem com café ou chá na igreja)
  • Jantar temático

Também é uma boa idéia garantir que os eventos dos pais não estejam muito próximos dos eventos das crianças; você não quer que as crianças se sintam tão perto de que mamãe e papai deixem solto ou os pais se sentem como se não estivessem fazendo uma verdadeira pausa.

Use as mídias sociais e seu site

Como mencionei anteriormente, você precisará promover todos esses eventos nas mídias sociais. Caso contrário, pais e filhos não terão a menor ideia de que esses eventos estão acontecendo.

Dê aos pais tempo suficiente para planejar de acordo. Uma boa regra geral é publicar um anúncio de evento pelo menos um mês antes do evento e todas as semanas que o levam como lembrete.

Você também pode criar uma página do Evento do Facebook da conta do Facebook da sua igreja que enumera todos os detalhes específicos. Assim que isso for feito, torna o seu evento muito mais fácil de compartilhar e ajuda a divulgar o que está acontecendo em sua igreja.

Publique o evento no calendário do site da igreja , apenas no caso de alguns membros da sua igreja não usar as mídias sociais.

Incentive os membros a compartilhar detalhes do evento

Certifique-se de anunciar qualquer evento que você está segurando em seu boletim semanal ou mensal e mencione-os em cada sermão, também.

Você também pode incentivar os membros da sua comunidade a compartilhar os detalhes do evento com seus amigos para que você possa atrair mais famílias.

Deixe os membros da igreja saberem que os amigos são sempre bem-vindos e os eventos são uma maneira perfeita e informal de conhecer todos na comunidade.

Publique o evento em diretórios locais

Como seu objetivo é atrair famílias para sua igreja, você precisará certificar-se de que o evento esteja listado em diretórios públicos on-line.

Comece com sua estação de notícias local ou jornal. A maioria dos seus sites tem páginas de Eventos especiais onde você pode listar seu evento gratuitamente.

Peça a alguém da equipe do seu site (Ou a nós, do SerDivino) que identifique locais potenciais para adicionar o evento e enviar detalhes e imagens importantes para cada anúncio.

Esta é uma maneira fácil de deixar os pais na comunidade local saberem sobre o que está acontecendo em sua igreja.

De um modo geral, cada postagem deve ser aprovada pelo administrador do site, então você quer postar o evento o mais rápido possível. Dessa forma, seu evento terá a maior exposição. Além disso, se houver um soluço inesperado, isso não afetará a participação do seu evento.

Pensamentos finais sobre fazer sua igreja familiar

Não é tão difícil, não é mesmo? Com apenas alguns ajustes simples, você pode fazer sua igreja familiar; Você só precisa pensar sobre o que todos na família desejam.

Sua igreja deve fornecer um refúgio seguro para as crianças se socializar e uma maneira de os pais se encontrarem juntos. Mantenha eventos para atrair famílias que procuram se divertir com seus colegas membros da igreja.

Então você e sua equipe podem promover esses programas e eventos em redes sociais e diretórios locais.

Prepare-se! O uso dessas estratégias levará sua igreja a atrair famílias rapidamente.

Gostou? Compartilhe!
Como usar um calendário da Igreja em seu site e mídias sociais

Como usar um calendário da Igreja em seu site e mídias sociais

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 4 minutos

Se você é como eu, você usa um calendário para manter organizados todos os seus compromissos e projetos. Em questão de segundos, você pode fazer o seu horário para ver o que você passou nesta semana ou mês para determinar quanto mais você pode caber no seu calendário ocupado.

E se algo não for adicionado à sua agenda, corre o risco de cair completamente no esquecimento. O que nunca é bom.

Quando se trata do site da sua igreja, a utilização de um calendário também pode manter você e seu time do site muito organizados.

Na publicação de hoje, vou explorar os melhores calendários para usar em suas plataformas de sites e redes sociais.

Existem dois tipos de calendários para ajudá-lo e sua equipe a ficar organizada: um calendário editorial e um calendário de eventos.

Eu sei que fazer malabarismos com dois calendários pode parecer muito no início, mas confie em mim, eles tornarão o seu trabalho muito mais fácil quando você conseguir o jeito.

Com isso dito, vejamos por que é importante ter ambos.

 

Tipos de Calendários:

1. Calendário editorial

Um calendário editorial vive na parte de trás do site da sua igreja, o que significa que os membros da comunidade da igreja não a verão. Este tipo de calendário é usado como uma ferramenta de marketing de conteúdo que ajuda você e sua equipe a ficarem organizados.

Veja como funciona:

Usando seu novo time do site , faça um brainstorming de uma lista de tópicos ou temas que você gostaria de explorar em seu blog. Depois de gerar uma lista de tópicos, você pode agendá-los em datas específicas, adicionando-os ao seu calendário editorial.

Seu calendário pode então ser visualizado por qualquer pessoa em sua equipe a qualquer momento para que todos estejam na mesma página, até as próximas postagens do blog. 

Os calendários editoriais são uma ótima maneira de permanecer no topo do trabalho e facilitar a colaboração com sua equipe. Eles definitivamente irão poupar tempo no longo prazo.

Aqui no SerDivino, você consegue montar um calendário editorial facilmente e ainda se preferir, pode usar o google agenda.

 

Em seguida, você pode nomear alguém da equipe do seu site para se encarregar desse calendário. Eles serão responsáveis ​​por adicionar cada um de seus tópicos a determinados dias no calendário.

Uma vez que esteja completo, todos em seu time podem ver quais postagens estão disponíveis. Como você pode ver no exemplo acima, cada tópico se torna um link clicável.

Quando sua próxima publicação estiver pronta para ser carregada, basta clicar no link do tópico e aparecerá uma nova janela que permite editar a publicação.

Digamos que você deseja manter um prazo para a sexta-feira para uma postagem de blog que estará em terça-feira à noite. Você pode marcar a postagem do blog na sexta-feira em seu calendário, mas mude seu horário de lançamento programado diretamente no google agenda para terça-feira. Ele iniciará automaticamente a publicação sem que você tenha que voltar na manhã de terça-feira para fazê-lo.

No SerDivino você mesmo pode publicar seu post sobre nas plataformas de mídias sociais favoritas (facebook, twitter, youtube e outros), também. Então, depois que ele lança automaticamente em seu site, ele também compartilhará a publicação em suas paredes de mídia social sem que você tenha que atualizar todas as plataformas, economizando toneladas de tempo e problemas.

Usar um calendário editorial é incrível para manter sua equipe organizada, mas você também deseja usar um calendário de eventos.

2.  Calendário de eventos

Ao contrário de um calendário editorial, os membros da igreja poderão ver um calendário de eventosEste tipo de calendário exibe os próximos eventos no site da sua igreja.

Ao apresentar seus próximos eventos no site da sua igreja, seus membros atuais podem ver o que está acontecendo e os membros em potencial podem encontrar eventos para participar. Isso ajuda a trazer tráfego para seu site e pode aumentar o seu motor de pesquisa também.

Um dos meus benefícios favoritos de ter um calendário de eventos é que ele pode fortalecer e construir sua comunidade online.

Nós tornamos o processo de adicionar eventos no site da sua igreja ainda mais fácil graças à nossa integração com o google agenda.

Usando o google agenda, tudo o que você precisa fazer é conectar todos os eventos que você hospedará, fazer o upload de algumas fotos e uma breve descrição e você está pronto.

Depois disso, os membros da igreja poderão encontrar os próximos eventos clicando no link Eventos na sua navegação principal.

Outra vantagem para ter eventos listados assim é que cada evento recebe seu próprio URL exclusivo.

Isso facilita o compartilhamento do evento em suas plataformas de redes sociais favoritas. Quando um usuário clicar no link do evento na página do Twitter ou do Facebook da sua igreja, eles serão direcionados para o evento no site da sua igreja, o que lhes dará mais detalhes e informações de contato.

Uma coisa importante a ser observada sobre os calendários de eventos e editoriais: é imperativo que você os mantenha atualizados e ativos. Portanto, é uma boa idéia colocar alguém responsável por isso, de modo que você permaneça consistente na atualização de ambos os calendários.

Se os membros da igreja começam a ver eventos e informações desatualizados, eles provavelmente não voltarão para os novos. Veja por que é especialmente importante manter estes atualizados?

Outra maneira de usar calendários para criar uma comunidade online e manter as coisas organizadas é usando o Event Pages no Facebook.

Usando uma Página de Eventos no Facebook

De um modo geral, você pode criar uma Página de Eventos no Facebook. Use sua Página de Eventos para aumentar o interesse sobre um evento especial que sua igreja está organizando.

4

Como você pode ver, este exemplo exibe imediatamente todos os detalhes para o evento desta igreja. Você vê a hora e a data, localização específica e uma breve descrição do que esperar.

Veja como criar sua própria Página de Eventos:

Vá para a página do Facebook da sua igreja e clique no link Eventos do lado esquerdo e clique em Criar para adicionar um novo evento.

Em seguida, você deseja inserir tanta informação quanto possível e adicionar fotos relevantes para tornar a página mais convidativa.

Também é uma boa idéia convidar tantos membros da igreja quanto possível para esta página para que todos estejam cientes do evento.

Uma vez que sua Página de Eventos esteja concluída, você pode promovê-la e atualizá-la sempre que possível. Novas postagens podem variar de anúncios de falantes convidados para atualizações de mudança de localização. A idéia é manter a página ativa e emocionante para que seus membros da igreja estejam ansiosos para ir e convidar seus amigos.

Outra coisa a observar: você deseja criar uma Página de Eventos o mais rápido possível para que você possa dar aos membros da igreja tempo suficiente para marcá-la em seus calendários e compartilhá-la.

Você pode ver por que é tão importante usar um calendário de eventos e um calendário editorial no site da sua igreja? Ambos ajudarão sua equipe a se manter organizada e manter os membros da igreja informados sobre o que está acontecendo na sua congregação.

Gostou? Compartilhe!
6 Dicas para o Facebook que toda igreja deve saber

6 Dicas para o Facebook que toda igreja deve saber

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 3 minutos

O Facebook sempre está mudando e adicionando novos recursos. Se sua igreja não está prestando atenção, sua página do Facebook pode tornar-se irrelevante muito rapidamente. Aqui estão 6 dicas para o gerente do Facebook da sua igreja para aumentar o envolvimento com a comunidade da igreja.

Atenção: Infelizmente, o Facebook não expõe novos recursos para cada página do Facebook ao mesmo tempo. Sua página do Facebook talvez não tenha a capacidade de fazer todas as ações a seguir, continue a verificar regularmente para adicioná-las conforme elas o permitam.

1. O novo Business.facebook.com

Em setembro, o Facebook lançou business.facebook.com , que permite que as organizações melhorem o gerenciamento de páginas do Facebook. A maioria das organizações tem várias pessoas publicando atualizações e compartilhando conteúdo, o que pode ser confuso, especialmente se você é a igreja e está executando um anúncio em sua página do Facebook. Anteriormente, não houve uma maneira efetiva de monitorar toda a atividade de Admin, mas business.facebook.com é para isso.

Certifique-se de ter todos os administradores da página do Facebook da sua igreja para o business.facebook.com e configure seu portal para começar a simplificar sua atividade do Facebook. Você receberá maiores informações sobre quem está interagindo com sua igreja no Facebook e como você pode alcançar melhor as necessidades de sua comunidade nas mídias sociais. Veja como criar o facebook da sua Igreja da maneira correta. 

2. “Chamada à ação” na sua foto de capa

O Facebook permite que sua página tenha uma ligação à ação na parte superior da página. Na área de trabalho, fica à esquerda do botão ‘Curtir’. No celular, está logo abaixo da foto da capa.

Você pode escolher entre os seguintes botões de Chamada para Ação:

  • Reservar agora
  • Ligue agora
  • Fale conosco
  • Enviar mensagem
  • Usar aplicativo
  • Jogar
  • Comprar agora
  • Cadastre-se
  • Assistir ao vídeo

chamada no facebook

Se sua igreja tiver um excelente vídeo de boas-vindas ou um aplicativo útil, adicione uma chamada à ação para que seus visitantes do Facebook possam interagir mais com você fora do Facebook. Veja como utilizar o facebook e instagram na sua igreja.

3. Informações de contato

Fico sempre surpreso com a quantidade de páginas do Facebook da igreja que não possuem informações de contato facilmente disponíveis. Sob a seção ‘Sobre’ na página do Facebook da sua igreja, certifique-se de que cada seção esteja preenchida para que sua comunidade da igreja possa entrar em contato facilmente com a igreja e um visitante pode acessar o endereço para visitar seu culto.

informações na fanpage da Igreja

4. Postagem fixa

Uma maneira gratuita e eficaz de conduzir sua comunidade do Facebook para uma publicação específica é inserir a publicação no topo da sua página do Facebook. Depois de publicar a publicação na sua página do Facebook, clique no ícone do pino (parece um marcador) no canto superior direito da postagem. Isso significa que cada visualizador verá esta publicação primeiro quando vierem à sua página do Facebook, não importa o que se você publicar novas informações, a publicação fixada permanecerá no topo.

Aqui está um exemplo de uma de nossas postagens mais recentes do Facebook:

fixar no topo da pagina

Idéias para postagens afiadas na página do Facebook da sua igreja:

5. Vídeo em destaque

Se você é o Administrador da página do Facebook da sua igreja, você pode adicionar um vídeo em destaque. Clique na guia “Vídeo” na sua página do Facebook → Adicionar vídeo em destaque → carregar arquivo de vídeo → selecione o vídeo carregado como seu vídeo em destaque.

Este vídeo em destaque será automaticamente adicionado à seção “Sobre” da sua página do Facebook.

Veja também os motivos para usar o facebook live na sua igreja.

6. Grupo do Facebook

Você provavelmente notou que as postagens do Facebook da sua igreja não estão atingindo a quantidade de pessoas que costumavam fazer. Isso é porque o Facebook limita o número de pessoas às quais eles mostram sua postagem, mesmo aqueles que gostaram organicamente da sua página. O Facebook está fazendo isso porque eles querem que você gaste o aumento de dinheiro ou anuncie sua postagem.

Uma maneira criativa em torno disso é iniciar um Grupo do Facebook. Se houver coisas importantes que você não quer que sua comunidade do Facebook da igreja perca, considere criar um grupo do Facebook onde todos sejam alertados automaticamente quando houver uma nova postagem. Você também pode considerar a criação de vários grupos do Facebook para sua igreja se você tiver tempo para mantê-los. Você poderia ter um para seus líderes de grupos pequenos e voluntários-chave e outro para pais do Ministério da Criança. Simplesmente depende do seu objetivo, mas eles são uma maneira eficaz de garantir que as pessoas sejam alertadas sobre novas postagens.

Preparamos um conteúdo Bônus e especial para você! Saiba tudo sobre grupos no facebook clicando aqui.

Tenha um site e aplicativo para sua Igreja

 

Gostou? Compartilhe!
Guia definitivo – Como criar um grupo do Facebook para sua igreja + 10 razões

Guia definitivo – Como criar um grupo do Facebook para sua igreja + 10 razões

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 6 minutos

Quando se trata de construir uma presença on-line para sua igreja, você não pode ignorar o poder do Facebook.Ao criar um grupo do Facebook, a comunidade da sua igreja pode se conectar facilmente em uma plataforma com a qual eles já estão familiarizados.

Eu sei que isso pode soar um pouco intimidante, mas não precisa ser assim.

grupo no facebook para sua Igreja

Na publicação de hoje, vou ensinar-lhe como configurar a sua página do grupo do Facebook e mostrar-lhe como promover um ambiente positivo e acolhedor para os seus membros interagirem.

Grupos do Facebook podem ser uma ótima maneira de ampliar o alcance de sua base de cadastros, obter novos cadastros e criar relacionamentos para sua organização.No entanto, também é muito fácil desperdiçar uma tonelada de tempo em grupos que não lhe dão o que você realmente precisa.

Estas dicas lhe dará motivos para criar um Grupo do Facebook e mostrar que quando se trata de Grupos do Facebook, não é uma abordagem simples.

1. Oportunidades de Mentoring

As pessoas querem sentir que são especialistas e ajudar outras pessoas com a informação que elas possuem e que outras precisam.Ao usar Grupos do Facebook para fornecer dicas e dicas úteis que muitos estão buscando, você se estabeleceu como uma fonte credível.

2. Rede de negócios

Crie uma comunidade comercial com os Grupos do Facebook, uma vez que une seus potenciais membros atuais e base de fãs sob o tópico comum do seu negócio ou assunto comum.Existe grupos abertos, que não necessitam de ter a candidatura aprovada por um moderador. Isso significa que não há processo de aprovação e qualquer pessoa pode simplesmente clicar no botão verde “+ participar do grupo”.As oportunidades de rede podem ser abundantes entre as pessoas do grupo que podem não ter sido conectadas.Seu negócio é um fator comum “como, saber e confiar” e pode ajudar a solidificar as relações para todos os envolvidos.

participar do grupo do facebook

3. Gerenciar uma equipe ou uso de liderança

Igrejas grandes e pequenas podem utilizar a facilidade de um Grupo do Facebook para agilizar projetos, comunicações, treinamentos e muito mais.Devido à familiaridade do Facebook com muitos, muitas vezes é encontrado que os Grupos do Facebook podem ser ainda mais produtivos do que enviar a informação via e-mail.

4. Compartilhamento social

Os proprietários de pequenas igrejas e os obreiros trabalham incansavelmente para usar as mídias sociais de forma mais inteligente para alcançar novos membros.Ao participar dos Grupos do Facebook que têm oportunidades de postar novas postagens de blog ou links para várias plataformas de redes sociais, todos podem se apoiar em uma comunidade que compartilha esse interesse comum para crescer através de ações, ações, retweets, etc. Todos nós amamos essas oportunidades, certo?

5. Membros Premium Privados

Um Grupo do Facebook privado é uma ótima vantagem para oferecer a um grupo local ou departamento da sua Igreja.Este é um lugar onde você pode compartilhar informações “primeiro” antes de contar aos outros, compartilhar oportunidades, exclusividades, informações restritas e continuar a construir essa base de membros para sua igreja.Aqui está um exemplo de um grupo que só está disponível para pessoas que compraram um curso de treinamento de anúncios do Facebook.A compra deles dá acesso a esse grupo fechado.

6. Marketing 24/7 através de grupos sugeridos

Como visto aqui nesta foto, você pode notar que membros de um determinado grupo recebem grupos sugeridos pelo Facebook com base em seus interesses e interesses de seus amigos.

Starters Club Closed Facebook GroupDesta forma você pode se associar a diversos grupos semelhantes.

7. Centro de atendimento ao cliente

Um grupo do Facebook permite que você suporte os membros nos projetos que eles estão trabalhando.Especialmente se eles estiverem com dúvidas ou afim de criar um debate entre todos os membros do grupo, realizar uma pesquisa, entre outros. Isso permite que eles ajudem naturalmente a promover a transparência de sua empresa.Você pode compartilhar quando você está trabalhando em resoluções sobre problemas e a capacidade de responder rápida e facilmente às perguntas, todos sabem que você está lá para eles e que trabalha em uma resolução.Dá essa sensação de “clube exclusivo”.

8. Visibilidade de todas as mensagens para todos os membros

Com o algoritmo sempre em mudança do Facebook que determina o que é colocado no fluxo de notícias das pessoas, é emocionante saber que quando você está em um Grupo do Facebook, cada publicação é visível para todos os membros desse grupo.Isso pode ser especialmente útil se você tem medo de suas postagens não receberem a exposição que merecem na página do Facebook de sua empresa.

9. Grupo baseado em um próximo evento

Crie uma comunidade do Grupo do Facebook em torno de um próximo evento.As pessoas podem ser convidadas a se juntar ao grupo.O grupo ajuda a criar um nível mais pessoal de conexões entre os membros em todo o mundo antes do evento atual.Isso pode ajudar as pessoas que finalmente se encontram na vida real sentem que sua conexão é mais profunda e lança relacionamentos comerciais mais fortes.

10. Relacionamento próspero com os membros

O meu motivo favorito para estar nos Grupos do Facebook é a capacidade de os relacionamentos prosperarem.O tempo e a energia necessários para que um Grupo do Facebook seja próspero não é fácil, não se engane com isso.Você deve se mostrar, ser consistente e desenvolver esforços para crescer e construir os relacionamentos.Mas, a longo prazo, os Grupos do Facebook podem fazer grandes coisas para expandir o crescimento da sua Igreja.


Como configurar seu grupo do Facebook

Antes que possamos criar um grupo do Facebook que sua igreja ame, precisamos realmente configurar a página primeiro.

De acordo como centro de ajuda do Facebook, você encontrará a seção “Grupos” na página inicial da sua igreja.Depois de fazer isso, clique em ‘Criar novo grupo’.

Nesta fase, você será convidado a apresentar um nome para o seu grupo.Este é um ótimo momento parautilizar a equipe do seu sitepara uma sessão de brainstorming.

Você quer que o nome do seu grupo seja fácil de lembrar, simples e confiável para sua igreja.

Agora que você estabeleceu e nomeou seu grupo, você vai querer cuidar de algumas tarefas domésticas, criando recursos de privacidade e atribuindo administradores.

Definir funcionalidades de privacidade

O Facebook oferece três opções quando se trata de configurações de privacidade de grupo: público, fechado e secreto.

Para obter a maior visibilidade, você deseja usar uma configuração de grupo “público”. Isso significa que qualquer um pode participar ou ser convidado por um membro existente.

Com grupos fechados e secretos, os membros não poderão encontrar o seu grupo, a menos que um membro existente os convide pessoalmente.

Essas duas configurações (Fechado e secreto) podem dificultar a adesão, uma vez que é tão difícil para as pessoas encontrarem o grupo. Além disso, novos membros devem aguardar um convite, o que pode levar algum tempo.

Portanto, recomendo escolher uma página de grupo público para obter os melhores resultados.

Em seguida, você deseja atribuir ‘Admins’ à sua página.

Selecione administradores

Os administradores são os membros que serão responsáveis ​​por moderar o grupo, aprovando novos membros e mantendo a página livre de negatividade possível.

Eles serão responsáveis ​​pelo grupo.

Quando se trata de nomear administradores, você deseja escolher pessoas confiáveis ​​que possam permanecer o mais ativos possível no grupo.

Você também quer administradores que estejam familiarizados com o funcionamento do Facebook para que eles estejam confortáveis ​​nesse papel.

Também é uma boa idéia ter vários administradores. Agora, eu não ficaria louco e nomearia 20 administradores para começar, mas é uma opção inteligente ter cerca de 3-5 administradores.

Isso permite que os administradores tenham horários flexíveis que não exigem turnos longos. Além disso, você sempre terá um backup no caso de um dos administradores mais tarde voltar.

Por outro lado, se você atribuir apenas um administrador, corre o risco de ocorrências imprevisíveis que possam deixá-lo bloqueado do grupo.

É por isso que é uma boa idéia ter pelo menos dois administradores. Eu sempre recomendo começar com um mínimo de três, apenas para ser seguro.

Agora que você atribuiu seus administradores para o seu grupo, é hora de tornar sua página esteticamente agradável e convidativa.

Adicionar imagens

Aqui é onde seus sucos criativos entram.

Primeiro, você deseja atualizar sua foto de capa e imagem de perfil.

As dimensões da foto da capa atual são 851 x 315 pixels e 180 x 180 pixels para a imagem do perfil. Você deve certificar-se de que as fotos escolhidas se encaixam perfeitamente nessas dimensões ou você corre o risco de suas imagens serem cortadas.

No entanto, uma coisa que eu não gosto da foto de capa é o uso de muito texto na imagem. Deixe-a atraente com pouco texto.

O nome do seu grupo é exibido à direita da imagem do seu perfil e é executado em cima da sua foto de capa. Portanto, é uma boa idéia evitar ter texto na parte inferior da imagem da capa para que o nome do seu grupo seja visível contra um plano de fundo.

A igreja fez um excelente trabalho posicionando suas letras para que o nome do grupo seja visível e a mensagem seja fácil de ler.

Ao escolher ou criar imagens para o seu grupo do Facebook, pense sobre a mensagem que deseja transmitir e escolha imagens que ressoam com essa mensagem e atrairão membros.

Ao escolher imagens para o seu grupo do Facebook, pense em qual mensagem você gostaria de transmitir.

Também é uma boa ideia usar o mesmo esquema de cores e a marca que você usa no site da sua igreja para que tudo seja coeso.

Você pode até adicionar o endereço do site da igreja à sua página do Facebook para que os usuários possam encontrar o site da sua igreja facilmente.

Uma vez que a sua página tem fotos e parece ser bom, é hora de começar a adicionar membros.

Comece a adicionar amigos

Para fazer este próximo passo, os seus administradores devem passar por suas listas de amigos primeiro para começar a convidar amigos do Facebook que eles conhecem no grupo.

Uma vez que você e sua equipe terminem de convidar seu círculo imediato de amigos e familiares, você pode acabar se ramificando e pedir que compartilhem o grupo com seus amigos e familiares para que seu grupo possa continuar crescendo exponencialmente.

Também é importante fazer um anúncio geral para sua igreja quando puder. Você deseja que os membros conheçam o nome do seu grupo e como eles podem acessá-lo. Incentive-os a “Curtir” a página e se juntar oficialmente como membro.

Você pode até adicionar uma mensagem em seu boletim semanal que os lembra disso.

Agora que você estabeleceu sua página e começou a aumentar a adesão, é hora de criar um grupo que seus membros vão adorar.

Como manter seu grupo do Facebook ativo

Semelhante a um quadro de discussão, você quer que sua página do Grupo Facebook seja o mais ativa possível.

Atualize regularmente sua página

Tente criar uma programação consistente que permita que você publique atualizações regularmente em sua página. É aqui que é útil ter vários administradores.

Reúna seus administradores e venha um cronograma que funcione para todos. Idealmente, você quer postar algumas vezes por dia, se possível.

Adicionar variedade às postagens

Quando se trata de suas postagens, a adição de elementos visuais, como imagens ou vídeos, pode realmente ajudar a manter seus usuários comprometidos.

Não tenha medo de publicar vídeos como os seus sermões na sua página de grupo.

Outra ótima maneira de aumentar a quantidade de conteúdo exclusivo que é publicado em sua página é compartilhar postagens de grupos similares.

Compartilhe conteúdo de grupos similares

Ao compartilhar uma mensagem inspiradora de outro grupo, você está adicionando um pouco de variedade à sua página e incentivando a promoção cruzada entre os grupos.

Isso torna ainda mais fácil para os novos membros encontrarem sua página. Além disso, eles já sabem que sua página compartilha interesses semelhantes com o grupo ao qual pertencem.

Esta é uma das melhores maneiras de desenvolver uma comunidade online.

Incentive os membros a compartilhar

Além de compartilhar conteúdo de outras páginas, você também pode incentivar seus membros a compartilhar conteúdo na página do seu grupo.

Não há nada mais emocionante do que ver seus membros se envolverem.

No entanto, seus membros podem ser tímidos no início, então você precisará criar um anúncio para que eles saibam que está bem publicar itens relevantes na página.

Depois que alguns membros começarem a fazer isso, o resto vai se encaixar e se sentir mais confortável, também.

Tenha seus administradores moderados

Para ter certeza de que seus membros estão postando conteúdo apropriado, você precisará de seus administradores para permanecerem ativos, como mencionei anteriormente, e moderar sua página de grupo.

Incentive seus administradores a intensificar e excluir qualquer conteúdo que possa ser prejudicial para sua página de grupo e informe-os de que eles também devem monitorar a página para comentários inadequados.

Afinal, você quer criar uma página livre de negatividade e promova uma saída positiva para todos no grupo.

Parabéns, você acabou de criar uma página do Grupo do Facebook para sua igreja!

Eu disse que não seria tão difícil, não é mesmo?

Gostou? Compartilhe!
Sucessão pastoral – Considerações Todos os pastores precisam pensar por AGORA

Sucessão pastoral – Considerações Todos os pastores precisam pensar por AGORA

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 7 minutos

Eles dizem que há duas certezas na vida: morte e impostos. Brincadeiras a parte, se você estiver na liderança da igreja, sabe que há uma terceira certeza na vida: mais cedo ou mais tarde, sua igreja enfrentará a realidade da sucessão. Pastores, a menos que você vá viver para sempre ou Jesus venha nos receber em breve, você, em algum momento, se afastará desse papel e precisará de um sucessor.

Entrevistamos o Pr. Josiel que teve a oportunidade de caminhar ao lado de muitas igrejas enquanto planejam seu futuro, seja criando planos de sucessão feitos sob medida para eles (se a sucessão estiver à vista), elaborando planos de sucessão de emergência para a equipe ( se nenhuma sucessão estiver à vista), ou realmente encontrar seus futuros líderes e funcionários.

Sucessão Pastoral

Através do trabalho ajudando as igrejas a caminhar através de planos de sucessão (ou sendo chamado para ajudar as igrejas após uma sucessão de liderança que foi mal ), Pr. Josiel percebeu o que alguns dos pastores mais inteligentes estão fazendo em relação à sua (eventual) sucessão. Foi realizada muita aprendizagem e pesquisa para ser o melhor recurso possível para as igrejas que enfrentam essa questão-chave segundo o livro do americano William Vanderbloemen, NEXT: Sucessão pastoral que funciona (apenas em inglês).

Se você é um pastor, se você vê ou não sua sucessão em seu futuro, esta publicação é para você. Abaixo estão as considerações que todos os líderes inteligentes da igreja começam a pensar mais cedo ou mais tarde.

1. Ninguém começará a discussão, a menos que você comece.

Ou, se o fizerem, será sem você na sala. A sucessão é, com razão, um assunto delicado, e muitos pastores o evitam por muito tempo. Mas quando você começa a discussão, não há apenas uma chance maior de sucesso, mas você pode falar sobre a transição, o que achamos que é extremamente valioso para uma sucessão suave. Ore por ele e então comece a discussão com sua liderança superior.

2. Não há uma única fórmula para o planejamento efetivo de sucessão.

As pessoas geralmente procuram o “grande segredo” do planejamento de sucessão. No entanto, não há nenhum segredo. É uma arte, não uma ciência. Todo plano de sucessão depende de muitos fatores contextuais. Identificamos várias  variáveis-chave que cada igreja deveria pensar ou planejar, mas mesmo com essas variáveis, a equação é um pouco diferente para cada igreja e cada líder.

3. Obter um conselho objetivo é inestimável.

William Vanderbloemen disse muitas vezes: “Todo mundo quer falar sobre planejamento de sucessão até que seja seu”. Embora sua participação e insumos sejam absolutamente essenciais para uma transição perfeita e efetiva, sabemos que nenhuma igreja é capaz de abordar esta questão sozinha. É praticamente impossível que um pastor seja totalmente objetivo em relação à sua própria sucessão. Procure conselhos objetivos de um terceiro, seja um consultor, sua denominação ou rede, ou um colega pastoral fora de sua igreja. No fundo, nenhum cirurgião realizaria um transplante cardíaco em si mesmo – e uma transição pastoral bem sucedida é tão delicada e séria quanto.

4. Uma boa administração de sua igreja e sua família ajuda a ter o tempo de pensar sobre o seu futuro.

Uma das principais razões pelas quais vemos sucessões fracassadas é porque o pastor cessante não tinha um plano. Não pensar nisso agora e começar a criar um plano afetará seu corpo da igreja e sua própria família. Se você pode começar a se preparar para essas coisas agora, eu prometo que toda essa transição será melhor para você e sua família, mas sua igreja também.

5. Mesmo que você esteja no longo prazo, as emergências acontecem.

Você ainda pode ter anos e anos de ministério deixados em você. Mas o que aconteceria com a sua igreja se, perdoe a morbidade, você foi atingido por um ônibus hoje? E se um líder chave desistiu, morresse ou ficou muito doente? Embora o planejamento de longo prazo não seja uma necessidade imediata de todos neste momento, o planejamento de emergência é . Se dissermos uma vez, dissemos um milhão de vezes: “Todo pastor é um pastor interino”.  Aproveite o tempo para investir, mesmo o mais simples de um plano de emergência. Quem inicia inicialmente seus papéis de liderança em uma emergência? Quais são os próximos passos para preencher papéis a partir daí? Como você, como igreja, tomará essas decisões? Qual é o seu plano de comunicação em tempos de transição ou de emergência?

Perguntas a fazer na entrevista ao pastor candidato:

  1. Casado a quanto tempo?
  2. Fale sobre sua formação Acadêmica
  3. Trabalhou em empresas seculares? Quais foram suas funções?
  4. Trabalhou na denominação Batista? Quais foram suas funções?
  5. Foi professor ou lecionou em alguma instituição? Quanto tempo?
  6. Exerce alguma atividade fora da denominação evangélica batista?
  7. Como consegue conciliar função de Pastor com as obrigações de família e seculares?
  8. O que gosta de fazer como atividades de lazer, entretenimento e bem estar?
  9. Possui convênio médico pessoal e familiar? Quanto tem custado?
  10. Tem familiares evangélicos não participantes dos trabalhos regulares da igreja ?
  11. Qual o seu projeto de trabalho com relação às famílias da Igreja
  12. Relate sua experiência como aceitou a Jesus Cristo em sua vida.
  13. Relate sua chamada ao Ministério da Palavra?
  14. O que mais gostava de fazer na época de seminarista?
  15. Onde e quem foram os pastores que estiveram presentes em seu concílio?
  16. Onde e como foi sua primeira experiência pastoral, após a ordenação?
  17. Por que quer deixar o pastorado da sua atual Igreja?
  18. Quais juntas e agências de evangelismo e missões que mantém contatos constantes ?
  19. Trabalhou com outros ministros  na mesma Igreja? Como foi a experiência?
  20. Escreveu algum opúsculo, folheto ou livro na área de evangelismo e missões?
  21. Qual tem sido a aceitação do seu trabalho no setor de evangelismo e missões?
  22. Atualizou, re-escreveu ou modificou Estatuto ou Regimento de Igreja que frequentou?
  23. Qual sua opinião sobre o trabalho do Ministro de Música?
  24. Já trabalhou em parceria com algum Ministro de Música?
  25. Possui plano de trabalho elaborado para esta Igreja?
  26. Caso afirmativo, descrever o projeto, metas e fundamentação bíblica.
  27. Quais alvos concretos específicos podem ser medidos e avaliados em seu projeto?
  28. Quanto tempo será suficiente para desenvolver seu plano de trabalho nesta Igreja?
  29. Qual sua consideração sobre o método “Igreja com propósitos?”.
  30. Como foi sua chamada para o ministério?
  31. Fale-nos um pouco sobre sua família e a relação dela com o seu ministério.
  32. Qual seria o seu dom espiritual preponderante?
  33. Em que momentos de sua vida o irmão experimentou maior crescimento espiritual?
  34. Em seu ministério, em quais as áreas da igreja o irmão tem percebido maior progresso?
  35. O irmão poderia falar um pouco sobre sua prática devocional, sobre como discerne a presença e a vontade do Senhor?
  36. Há algum ponto da Declaração Doutrinária da CBB ou da prática batista com o qual o irmão não concorda plenamente?
  37. Como o irmão definiria sua pregação? É mais expositiva ou temática? Como o irmão faz para, pessoalmente, crescer nesta área?
  38. Como tem sido a vida devocional da igreja dirigida pelo irmão?
  39. Qual a taxa de crescimento por batismo em seu ministério?
  40. Poderia comentar sua visão quanto ao evangelismo, adoração, educação religiosa e ação social?
  41. O irmão teria alguma opinião formada sobre o ministério colegiado e trabalho em equipe?
  42. Como a igreja deve participar da vida política na cidade?
  43. Como o irmão considera a participação denominacional da igreja?
  44. Como deve a igreja tratar as controvérsias?
  45. Qual a sua visão quanto ao dom de línguas e outras ênfases pentecostais?
  46. Como o irmão tem lidado com lutas na igreja por conta de estilos de culto?
  47. O que o irmão entende por ministério de dedicação exclusiva?
  48. O irmão entende que a igreja precisa aplicar disciplina em certos casos?
  49. Qual a sua visão quanto às assembleias deliberativas da igreja?
  50. Que reclamações fazem os que discordam de seu estilo ministerial?
  51. O irmão é comprometido com o dia de descanso e com suas férias?
  52. O que o irmão espera de sua igreja?
  53. O que o irmão enumera como os pontos que mais prejudicam a paz e a fraternidade na igreja?
  54. O que é integridade?
  55. O que um pastor pode fazer para guardar sua reputação?
  56. Como tem sido o envolvimento das igrejas sob o seu ministério com a obra missionária? Quais as ofertas com relação ao orçamento da igreja? Quantas novas igrejas organizadas?
  57. Em sua opinião, como deve ser a vida financeira de um pastor?
  58. Qual sua consideração sobre o método “Igrejas em células?”.
  59. O que entende ser o termo “Igreja evangélica tradicional”?
  60. Qual sua opinião sobre o atual ensino da Escola Bíblica Dominical?
  61. A Igreja deve investir em literatura ou apenas o estudo da Palavra de Deus?
  62. As organizações internas de treinamento devem prosperar? Ou tem uma outra visão ?
  63. Que textos bíblicos justificam o funcionamento das organizações internas?
  64. Cite rotinas e tarefas indispensáveis para coordenação da área administrativa da Igreja?
  65. Pessoalmente, se considera dizimista e ofertante? Por que?
  66. Quanto tempo dedica as tarefas de ordem financeira e administrativa?
  67. Tem o hábito de elaborar ou revisar as atas de reuniões?
  68. O que costuma fazer com os relatórios produzidos pelos lideres de áreas da igreja ?
  69. Os dízimos devem ficar expostos em quadro próprio? Por que?
  70. Opine sobre contribuições financeiras especiais relativas a eventos específicos
  71. Costuma organizar eventos (bazares, festas, viagens) para arrecadar recursos para a Igreja ?
  72. Qual a forma de recebimento de honorários pastorais que gostaria de ver aplicada ?
  73. Entende ser importante a formação do fundo ministerial?
  74. Qual faixa salarial entende ser apropriada para sua manutenção no Ministério?
  75. Imagina o tempo ideal de duração de um Ministério Pastoral fecundo ?

Segundo o Pr. Walmir Vieira (Diretor Geral da CBC), veja o perfil ideal para um sucessor:

  1. Que demonstre claras evidências de um cristão convertido, tenha razoável experiência, tempo de vida cristã e convicção de chamada divina para o pastoreio (1 Timóteo 3.6);
  2. Que seja formado, pelo menos, em Teologia por uma instituição reconhecidamente batista;
  3. Que seja afiliado e esteja em dia com a Ordem dos Pastores Batistas de seu campo;
  4. Que seja preferencialmente casado, em vias ou com vistas de se casar (1 Timóteo 3.2);
  5. Que seja, de preferência, não divorciado, principalmente se o divórcio teve como causa a infidelidade conjugal de sua parte;
  6. Que demonstre capacidade de trabalhar em equipe e se mostre um líder democrático, capacitador, exemplar, participativo e de fácil relacionamento. E, se não tiver o dom da administração, saiba, no entanto, humildemente, contar com a ajuda de pessoas abalizadas para tanto (1 Pedro 5.3);
  7. Que demonstre interesse em prosseguir seus estudos após sua formatura em Teologia, bem como evidencie seriedade e profundidade na preparação de seus sermões e estudos para a igreja (1 Timóteo 3.2);
  8. Que tenha seu nome limpo nos órgãos de proteção ao crédito, tenha bons antecedentes e esteja adimplente nas instituições nas quais estudou ou das quais se beneficiou (1 Timóteo 3.7a);
  9. Que tenha exercido o último ministério pautado nos princípios e doutrinas batistas, tenha mantido sua igreja fiel em suas contribuições missionárias e no programa de cooperação denominacional e que a igreja tenha experimentado progresso;
  10. Que comprove o exercício fiel do ministério em seu último pastoreio e integridade profissional na última instituição na qual atuou;
  11. Que tenha, preferencialmente, sua família nuclear integrada na igreja e evidencie cuidado com ela (1 Timóteo 3.4);
  12. Que assuma compromisso, por escrito, de se manter fiel às doutrinas e princípios batistas e de, dignamente, se desligar da igreja, sem provocar divisão ou se apropriar do patrimônio, caso venha assumir uma posição diferente dos documentos norteadores do pensamento da Convenção Batista Brasileira (Tito 1.9).

Como uma igreja batista é autônoma, na hipótese de um futuro pastor agir de modo inadequado e trabalhar com manipulação, a igreja ficará mais vulnerável se o pastor não for membro da Ordem dos Pastores. Exija que o futuro pastor seja membro da Ordem dos Pastores e inclua uma cláusula no estatuto da igreja que leve à perda do pastorado e da presidência da igreja, automaticamente, se ele for excluído da Ordem. O artigo acima foi extraído do site da Convenção Batista Capixaba, a quem somos gratos.

Modelo de carta convite sucessão pastoral

Cidade, data.
Prezado pastor ____________
“Estabelecerei sobre eles pastores que cuidarão deles. E eles não mais terão medo ou pavor, e nenhum deles faltará”,
declara o SENHOR. (Jer. 23:4)
Saudações no Senhor
É com enorme alegria que comunicamos ao irmão que a NOME DA IGREJA, em assembléia extraordinária,
especialmente convocada para tratar do assunto de escolha de pastor, decidiu por unanimidade convidar o irmão para
ser o seu pastor titular e o seu presidente.
Mesmo desejado oferecer mais, como é digno, nosso orçamento permite oferecer para o seu sustento a quantia
de R$ __________ mensais, além das vantagens tradicionais: 13o, INSS, FGTM, 1/3 sobre as férias, verba para
combustível e telefone e a casa.
Quanto à escolha da casa, desejamos fazer em comum acordo com o irmão e sua família.
Quanto ao FGTM, o irmão poderá escolher depositar em uma poupança em nome da Igreja e do irmão,
conjuntamente, para ser retirado no dia em que o irmão deixar o ministério ou poderá abrir uma conta de previdência
complementar, a seu critério.
Fazemos questão que o irmão tire um dia semanalmente para descanso, a seu critério, e um mês de férias,
anualmente, que poderá ser dividido em dois períodos, se desejar.
Fazemos questão também que, conforme recomendação da OPBB, o irmão participe, preferencialmente duas
vezes por ano, de oportunidades de capacitação ou treinamento. Nossa igreja terá prazer em custear estas despesas,
mediante possibilidades orçamentárias. É importante que o irmão esteja integrado à OPBB e nos ajude a, como igreja,
estarmos integrados à CBB e às suas organizações.
Nossa oração continua é que o Senhor oriente a sua decisão.
No Senhor Jesus
Assinaturas do presidente em exercício da Igreja e do Secretário de Atas.

Modelo de Termo de Posse do Pastor

Nome do Pastor Diante do Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito, e da assembleia solene da Igreja________________, eleito pelo voto democrático desta igreja, e consciente da vontade de Deus para minha vida e meu ministério, eu, [nome do pastor], brasileiro, estado civil, portador da cédula de identidade _____________, expedida pelo _____________, em ____________ e CPF _______________, residente e domiciliado na Rua_________________________ – CEP __________, assumo o pastorado e a presidência da Igreja__________________, e prometo: Depender de Deus, da graça de Jesus Cristo e do poder do Seu Espírito para o exercício do meu ministério e direção desta igreja; Aceitar a Bíblia Sagrada como única regra de fé e conduta e repositório da verdade que hei de pregar, ensinar e compartilhar em meu ministério; Aceitar como fiel às Sagradas Escrituras, a Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira; Aceitar, cumprir e fazer cumprir o Estatuto da Igreja____________________ e suas normas administrativas; Dedicar-me à pregação e ao ensino da Palavra de Deus, todos os dias de meu pastorado, alimentando-me e alimentando o meu povo com as Sagradas Letras, interpretadas à luz da Pessoa e dos Ensinos de Jesus Cristo; Se um dia e por desventura descrer da Palavra de Deus e das doutrinas de nossa fé, deixar o ministério e, em paz, a Igreja de Jesus Cristo; Cuidar da vida espiritual e o adequado sustento de minha família, de modo que não seja réprobo perante a igreja que venha e ensinar e pregar. Nome e assinatura do Pastor
 

Se pudermos ajudá-lo a pensar em qualquer um desses aspectos de sucessão, entre em contato conosco diretamente.

Quais são as outras considerações que os pastores devem pensar em relação à sucessão de liderança? Comente!

Gostou? Compartilhe!
19 dicas de liderança para começar o novo ano 2018

19 dicas de liderança para começar o novo ano 2018

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 3 minutos

Como um ano novo está sobre iniciando, todos nós temos uma oportunidade única de começar forte, sentindo-se revigorado e renovado para o ano seguinte. Se você quiser aproveitar esse novo começo, mas não sabe por onde começar, abaixo estão algumas maneiras simples de fazer a bola rodar em 2018.

1. Limpe sua caixa de entrada de e-mail

Isso pode ser uma tarefa assustadora para alguns de nós, mas faz uma tremenda diferença e te faz sentir-se renovado para o novo ano.

2. Estabeleça metas para o próximo ano

Seja a curto prazo, a médio prazo ou a longo prazo, criar metas realistas para o seu ano é a melhor maneira de se preparar para o sucesso.  

Leia também sobre gerenciamento de tempo dentro da Igreja.

3. Altere o seu ambiente

Isso não precisa ser uma mudança drástica, mas tente mover algumas coisas em seu espaço de trabalho ou escritório em casa. O lembrete físico de um novo ambiente é mais provável para manter sua perspectiva fresca por mais tempo. 

4. Seja mais intencional sobre colaborar e aprender com os outros

Isso pode ser no seu trabalho ou na vida pessoal. É incrível o quanto pode ser feito através da colaboração em equipe!

 

5. Cuide da saúde e veja o resultado em curto prazo

Mesmo por apenas algumas semanas, desista de algo que possa não beneficiar seu corpo (como açúcar ou cafeína) e veja como se sente.

6. Retire uma coisa do seu calendário social

É muito comum ter muitos eventos recorrentes (profissional e pessoal) em seu calendário a cada semana. Tente remover apenas um evento social semanal e deixe-o aberto para uma noite de descanso. Isso tem efeitos maravilhosos!

7. Comece um estudo devocional

Se você se compromete a ler a Bíblia inteira ou a mergulhar profundamente em um capítulo específico, comece um devocional que se tornará parte de sua rotina diária.

8. Obter um diário

Anote alguns pequenos pensamentos sobre cada dia antes de ir para a cama. Isso não precisa ser um esboço completo do dia, mas simplesmente uma documentação de alguns pontos altos e baixos. Isso fornece uma reflexão útil para o final de suas semanas e meses.

9. Limpe seu espaço

Se é seu escritório, quarto ou cozinha, escolha um espaço em que você esteja freqüentemente e faça uma limpeza profunda completa para começar o ano.

10. Doe seus itens não utilizados

Isso não é apenas útil para você limpar o espaço e a desordem, mas ajuda alguém que possa precisar desses recursos no futuro.

11. Cancelar a subscrição de e-mails

Tire algum tempo para se descadastrar de qualquer e-mail ou correio físico que você não leia ou precise. Isso só irá desordenar sua caixa de entrada e sua jornada de trabalho. Na mesma linha, limpe sua área de trabalho excluindo arquivos ou programas não utilizados.

12. Atualize seus perfis online

Atualize suas páginas de mídias sociais , Linkedin ou perfil no site da sua igreja para refletir onde você está agora no novo ano.

13. Encontre alguém novo para investir e mentor

Desenvolver a próxima geração de líderes é a maneira mais fácil de fazer a diferença na comunidade da igreja. Encontre um amigo, colega de trabalho ou mesmo um estranho na sua igreja para se envolver e se comprometer a entrar em 2018.

14. Encontre alguém para investir em você

Tão importante quanto investir em alguém, encontre alguém que se comprometerá a investir em você no ano novo.

15. Reavaliar seu orçamento.

Olhe para o orçamento do ano passado para ver o que você estava gastando principalmente dinheiro e como você poderia potencialmente ser mais eficiente e rentável no próximo ano.

16. Mostre gratidão

Leve algum tempo para agradecer a sua equipe ou as pessoas em sua vida que o ajudaram a atingir seus objetivos no ano anterior. 

17. Defina um cronograma de oração

Mapear necessidades de oração de longo prazo ou pedidos que você possa se comprometer a rezar durante o próximo ano. Ao documentar isso em algum lugar, você é muito mais provável que fique comprometido em orar por eles durante um longo período de tempo.

18. Comece a fazer uma coisa legal para alguém com quem você interage com cada dia

Quer se trate de um amigo, membro da família ou colega de trabalho, fazer uma boa coisa é um objetivo simples e realizável para se comprometer no ano novo.

19. Desligue.

Crie uma janela de 1 hora para ser desconectada da tecnologia a cada dia. Por exemplo, a hora antes da cama é um ótimo momento para excluir todas as distrações externas e permanecer presente.

O início de um novo ano é um ótimo momento para limpar e atualizar sua vida em geral. Use essas idéias para estimular um ano de crescimento pessoal e profissional em 2018.

Gostou? Compartilhe!
Esboço de sermão 2

Esboço de sermão 2

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 3 minutos

Esboço de sermão evangélico

Existem diversos tipos de esboços para se criar um sermão evangélico, iremos falar sobre alguns deles agora e como eles podem ser feitos de uma forma prática e funcional.

1 – O Sermão Temático

Este é o tipo de sermão que é todo feito baseado em um único tema. Ele não se prende em apenas um texto específico. Neste tipo de sermão são pesquisados diversos textos da bíblia para desenvolver e apoiar o tema que será escolhido. Além de sermão temático ele também é conhecido pelo nome de sermão tópico.

Como ele é feito?

Ele é criado com um único tema com base em três tópicos que estejam relacionados diretamente à ele.

Por exemplo, caso você tenha a intenção de falar sobre o amor de Deus, o sermão poderá ter a seguinte estrutura:

Tema: O Amor Incondicional de Deus

  • I – Deus é Amor
  • II – Deus nos amou
  • III – Deus amou os pecadores

Depois de ter o tema e os três tópicos, é basta procurar alguns dos versículos que falem sobre esse tema, como o seguinte:

Tema: O Amor Incondicional de Deus

Texto base: João 3:16

  • I – Deus é Amor (1 João 4:8b)
  • II – Deus nos amou (João 3:16a)
  • III – Deus amou os pecadores (Romanos 5:6-8)

Um ponto que deve ser observado atentamente, é que com esse tipo de sermão é necessário ter o cuidado para não pregar um texto que esteja fora de seu contexto. Algumas congregações usam muito desse tipo de sermão, justamente pelo fato de ser possível verificar versículos de toda a Bíblia, buscando versículos que irão comprovar sobre o que elas querem. Consequentemente, todos esses versículos irão ser interpretados de uma forma que não esteja dentro do seu contexto, resultando nas mais diversas heresias. Por isso o sermão temático deve ser pregado com o devido cuidado para não ter nenhum tipo de interpretação errada.

2 – Sermão Textual

O sermão textual é feito de uma forma criada totalmente partir de um texto específico escolhido. Ele irá se desenvolver conforme o tema juntamente com as divisões desse texto. Normalmente ele é trabalhado com uma pequena porção de texto e depois irá continuar fazendo a divisão natural e lógica deste texto. Ele é o tipo de sermão cuja a divisão ficará baseada neste texto. Desta foram apenas o texto será dividido para melhorar a interpretação e não o tema.

Colocando em termos mais específicos, o sermão textual deve sempre girar em volta de uma ideia principal (ideia tirada do texto) e todas as partes dele devem ampliar ou então fazer o desenvolvimento desta ideia. No início o pregador irá realizar um estudo completamente minucioso do texto que está sendo abordado, depois irá verificar a ideia principal e após isso as divisões naturais serão encontradas. Quando falamos sobre as divisões, significa que elas são as responsáveis pelo desenvolvimento lógico e natural do tema abordado. Uma coisa a observar é que o próprio texto sugere cada uma dessas divisões.

Veja agora um exemplo de sermão textual:

Texto base: João 3:16

Tema: O amor de Deus é uma dádiva

I – É uma dádiva de amor – “Porque Deus amou o mundo de tal maneira”

Subdivisão) Porque Ele é amor (1 João 4:8)

II – É uma dádiva sacrificial – “Que deu seu filho unigênito”

Subdivisão) Assim como Abraão entregou o seu único filho (Gn 22)

III – É uma dádiva eterna – “Não pereça, mas tenha a vida eterna”

Subdivisão) Temos a vida eterna por Jesus Cristo (João 17:3)

Perceba que a primeira coisa a se fazer é um texto somente a partir dele que suas divisões são feitas. Isto ocorre devido ao sermão textual as divisões principais devem obrigatoriamente sair de dentro do texto. Ocorrendo de forma totalmente distinta do que ocorre com o sermão temático.

Porém, no sermão textual (uma coisa que normalmente não acontece no sermão expositivo que veremos adiante), as subdivisões poderão aparecer com base em outros textos a fim de dar base totalmente bíblica para o tema. Logo esse tipo de sermão também poderá percorrer diversos livros da bíblia, em busca de versículos, para dessa forma criar o seu fundamento. E é justamente por essa razão que ele é caracterizado como um sermão textual. Os tópicos nascem do texto base e os sub-tópicos nascem de outros textos da Bíblia.

3 – Sermão Expositivo

O sermão expositivo é estruturado em torno de um texto, que normalmente é mais extenso que o usado no sermão textual. O tamanho do texto já diferencia o sermão expositivo do textual. Abaixo explico as diferenças entre eles. O grupo de versículos que forma o texto base da mensagem expositiva é chamado de “unidade expositiva”.

A “unidade expositiva” consiste em um número de versículos dos quais emerge uma ideia central e completa. Exemplo: Isaías 6: 1-8

O assunto de que se trata o texto é desenvolvido conforme o contexto, o livro e o argumento teológico em que se encaixa. Ele é visto de forma muito mais abrangente, numa tentativa de descobrir o seu sentido original.

É preciso trabalhar bem a introdução e a conclusão para ser bem entendido quando se prega esse tipo de sermão. Por isso deve-se ter uma boa experiência e conhecimento bíblico para tanto. Os grandes pregadores que tem a Bíblia em alto apreço pregam expositivamente.

Se o sermão textual e o expositivo forem criados em torno do texto, quais serão as diferenças que eles terão? Veja agora alguns pontos:

  • Comumente o esboço do sermão expositivo é maior que o do textual;
  • O sermão expositivo está intimamente amarrado ao contexto. O textual é mais livre;

O sermão textual tem como verdade que todas as suas subdivisões sejam apoiadas em outros textos da Bíblia para criar o fundamento do seu tema. Enquanto isso o sermão expositivo é totalmente voltado para o texto que está sendo estudado. Isso inclui todas as suas subdivisões que nascem do texto em apreço.

Conclusão

O sermão textual – o temático também – é mais vulnerável à uma eixegese, que é o que ocorre quando se tem uma ideia e a mesma é colocada dentro do texto. Enquanto o sermão expositivo é normalmente exegético: fazendo com que toda ideia para o sermão seja extraída do próprio texto em apreço.

No esboço de sermão expositivo há tudo o que o pregador necessita para que ele desenvolva seu sermão. Nele não é necessário embasar seus pontos em outros textos da Bíblia. E essa é a razão de se usar textos muito maiores que os outros para realizar esses tipos de sermões.

Gostou? Compartilhe!
ESBOÇO DE PREGAÇÃO EVANGÉLICA 3

ESBOÇO DE PREGAÇÃO EVANGÉLICA 3

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 3 minutos

No artigo de hoje você irá ver cinco passos para que consiga criar, finalmente, os seus próprios esboços bíblicos e seguir assim o exemplo dos grandes pregadores da palavra de Deus.

1º – Faça uma oração antes de iniciar tudo

É uma das partes principais de tudo que você irá fazer para Deus. Antes de começar a criar e escrever a sua pregação, é extremamente importante que você ore e peça a Deus para que ele lhe guie e mostre a palavra que ELE quer que você transmita para seus filhos. Somente com o poder de Deus que as pessoas mudam e possuem uma vida melhor, então se a sua pregação realmente for guiada pelo nosso Senhor, é possível que ela tenha uma mensagem específica para a situação de vida de cada um dos que estarão presentes, permitindo que suas vidas sejam mudadas e transformadas pelo poder de Deus.

Tenha sempre em mente que somente a Bíblia, a Palavra de Deus é o único e verdadeiro alimento para nossas almas, tanto que ela é um dos principais significados da palavra “pão” nas Escrituras.

Da mesma forma que quando uma visita vai à sua casa você prepara uma comida e uma boa refeição para ela, não servindo nada cru, ruim e estragado, é dessa forma que você deve pensar quando for realizar sua pregação, prepare o alimento para seus irmãos em Cristo e com a sabedoria de nosso Deus, pois somente com seu poder será possível que sua pregação alcance essas vidas e Deus faça a transformação necessária em cada uma delas.

2º – Faça a escolha do texto

Esta é uma parte importantíssimo e é claro que todos sabemos disso, porém o que as vezes é passado despercebido é que a escolha do texto principal deve estar em concordância com todas as outras partes que serão mencionadas durante sua pregação, não adianta sua palavra principal ser sobre “O amor de Cristo” e você finalizar com “Pedro negou Jesus três vezes antes do galo cantar”. Além de não lhe dar nenhuma credibilidade e mostrar que sua palavra foi criada totalmente de forma aleatória, isso não irá acrescentar em nada e tão pouco poderá mudar a vida das pessoas que realmente precisam de uma palavra vinda do nosso Senhor Jesus.

Sempre que você receber o convite para realizar uma pregação, pergunte ao pastor da congregação qual é a finalidade dessa pregação, caso seja você o próprio pastor da igreja, ore à Deus e peça que ele lhe guie e te mostre a palavra que Ele quer que você transmita para todas as almas que irão visitar a igreja neste dia.

Por exemplo, se a pregação for para um público jovem, você tem que escolher um tema para a pregação que se destine aos jovens, se é para casais você leva o assunto com o tema para casais.

É importante que a escolha do texto e do tema esteja de acordo com o público que você irá ministrar a Palavra de Deus.

Ainda sobre o assunto de você ter que escolher o seu texto com antecedência, também é importante que você evite fazer a escolha de textos longos, isso faz com que as pessoas se cansem e se percam na mensagem principal, quanto mais curta for a mensagem, mais tempo você terá para desenvolvê-la e atrair o interesse dos ouvintes.

3º – Introdução da pregação

Após você ter orado muito para Deus, ele ter lhe dado a palavra e você ter feito a escolha do texto que você irá pregar e desenvolver o assunto para as pessoas, é o momento que você irá fazer o esboço da pregação, escrevendo tudo que deverá estar contida nela, a primeira parte que você irá escrever é a introdução.

Como toda boa pregação, a introdução também deve ser feita de uma forma muito simples e objetiva, e principalmente deve ser breve. A introdução nada mais é do que falar brevemente sobre o assunto que será desenvolvido durante a pregação, por isso não é necessário utilizar muito tempo para isso, no máximo cinco minutos, se for menos, melhor..

Pense bastante e crie diversas ideias de como fazer a introdução, ela deve ser muito bem-feita pois ela é a porta de entrada de sua mensagem. Lembre-se disso: Uma introdução bem feita irá garantir a atenção e o interesse de todos os ouvintes em sua mensagem, permitindo que Deus trabalhe na vida de cada uma dessas pessoas que estão necessitadas em ouvir sua voz..

4º – A mensagem da pregação

Será nesse parte que você vai passar maior parte do tempo escrevendo e desenvolvendo o esboço para a sua mensagem ficar completa.

Uma dica que é muito importante para que você consiga ter uma boa desenvoltura em sua pregação, é dividi-la em três tópicos, caso sua mensagem seja um pouco maior que isso, passe para cinco tópicos, nunca mais do que isso.

Fazendo essa divisão irá permitir que você consiga memorizar e entender perfeitamente a mensagem que Deus lhe mostrou para que seja pregada por você. Mas caso você não queira ter muitas anotações em sua bíblia ou no seu esboço durante a pregação no púlpito, é possível que você as anote mentalmente

Por exemplo: primeiro você irá falar sobre Elias, depois vou falar sobre ele estando no ribeiro de Querite, terceiro vou falar de Elias na caverna, você pode fazer essas anotações na sua cabeça, mas não tem problema em levar uma anotação para o púlpito.

5º – Conclusão da pregação

Essa parte também é importantíssima para que sua pregação tenha sido eficaz, de nada adianta você ter criado uma excelente pregação, fazendo com que todas as pessoas tenham se interessado pela mensagem e realmente tenham a vontade de mudar suas vidas, se no momento de finalizar a mensagem você se perder e sair totalmente do foco em que a mensagem se encontrava. Isso poderá fazer com que todo o trabalho feito até o momento se perca e que muitas vidas retornem para suas casas da mesma forma que entraram em sua congregação.

Em nenhum momento diga as palavras: “já vou terminar, já vou parar” e nunca para, nunca termina. Isso fica chato e cansativo e irá fazer com que sua credibilidade seja perdida.

A conclusão também deverá ter o convite para que as pessoas que ouviram sua mensagem tomem a decisão de se tornarem filhos de Cristo Jesus ou não. Faça isso com dedicação e seja muito educado, com muito amor e por certo o nome do Senhor será glorificado através da sua vida.

Gostou? Compartilhe!
Pregação para jovens evangélicos

Pregação para jovens evangélicos

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 3 minutos

Pregar aos adolescentes pode ser extremamente desafiador, mas extremamente gratificante. Neste artigo falaremos sobre recomendações para pregação para jovens evangélicos.

Com o passar dos anos é notório que qualquer pastor ou pregador que tenha tido experiência em trabalhar com jovens saiba o quanto é desafiador e prazeroso, eles possuem uma visão totalmente diferente dos adultos, principalmente nos dias atuais onde toda a tecnologia está no domínio dos jovens, por isso é fácil dizer que quanto mais tempo pregando para jovens, mas sua pregação será aperfeiçoada pelo poder de Deus para que a mensagem escolhida alcance muitas jovens almas para Jesus.

Pregação para jovens evangélicos

Esta não é uma lista exaustiva de tudo o que você precisa saber. Mas certamente essas dicas irão ajudar muitos a entenderem melhor sem achar tão difícil, principalmente quem está iniciando em pregações para jovens. Veja agora 7 dicas de pregação para jovens evangélicos:

  1. Seja autêntico

Seja você mesmo. Não tente ser legal ou descolado. Não tente agir como um adolescente ou use o mesmo tipo de vocabulário que eles usam. Os alunos possuem um detector de postura embutido. Eles podem detectar um falso a uma milha de distância.

Todos em algum momento na vida já vimos um pastor juvenil de 40 anos que está tentando ser muito descolado e falando no mesmo linguajar dos jovens. Não seja esse cara.

Assim também como certamente foi possível ver alguns pastores mais jovens tendo a mesma atitude. Mais uma vez, não seja esse cara.

Adolescentes querem saber: você realmente se preocupa com eles? Você realmente tem um relacionamento autêntico com Jesus? Você realmente pratica o que prega?

A autenticidade é uma das coisas mais importantes que você pode ter como palestrante. Não importa o quão polido o seu sermão é, se você não é autêntico, os adolescentes não vão ouvir.

  1. Seja interativo

Como você está se envolvendo o público jovem?

Faça uma enquete pedindo para que levantem suas mãos. Peça-lhes para gritarem respostas para suas perguntas. Chame algumas pessoas até o palco para uma ilustração visual. Peça aos jovens que fique de pé, sente-se, pise, feche os olhos, veja algo, faça barulho, aja de acordo com o solicitado, jogue um jogo entre diversas outras coisas que serve para melhorar sua interação com os jovens.

Seja lá o que fizer, os adolescentes adoram interagir com uma mensagem. É sempre melhor ter algum nível de envolvimento do público do que apenas fazê-los sentar-se quieto, cale-se e escute o tempo todo.

  1. Conte histórias

Jesus é o melhor pregador de todos os tempos. Ele contou muitas histórias. Você deveria também.

Vivemos em um mundo obcecado com histórias. Todos os programas de TV, livros, filmes e videogames que um adolescente passa horas do dia provam que histórias são poderosas e importantes para eles.

Boas histórias chamam sua atenção. As histórias ajudam-nos a descobrir uma verdade para si mesmos antes de dizer diretamente. Apenas tenha cuidado para não contar uma história apenas por causa de contar histórias. Tenha um ponto.

  1. Seja descontraído

Você não precisa ser um comediante. Você nem precisa ter as melhores piadas. Apenas se divirta. Os adolescentes querem rir. Dê-lhes uma razão para isso, e principalmente que seja de uma forma natural e não forçada.

O riso quebra as paredes dos jovens mais difíceis de alcançar e traz os alunos para mais perto do ensino do evangelho. O riso também alivia a tensão no quarto depois de algumas palavras difíceis.

Os melhores comunicadores sabem como fazer o público rolar com um riso de um minuto e, depois, ouvir intensamente o próximo assunto a ser mencionado.

  1. Chegar ao ponto

Por quanto tempo você fala? Não compre a ideia de que as mensagens para adolescentes só podem ser de no máximo 15 minutos. Adolescente pode sentar-se através de uma mensagem por até 30 ou 40 minutos, dependendo de quão for interessante o assunto, pode ser até mais. Mas tem que ser atraente e continuar em em constante interesse.

Se você contar uma história que leva muito tempo para chegar ao ponto, você vai perdê-los em atenção. Se você falar realmente lento a mensagem inteira , você vai perdê-los em atenção.

Nada é pior do que ouvir um pastor juvenil que fala muito e se divirta por 15 ou 20 minutos sem nunca chegar ao ponto. Isso geralmente é resultado de uma má preparação.

Depois de escrever a mensagem, desconsidere os detalhes que não são necessários. Elimine qualquer coisa que seja muito repetitiva. Evite tangentes que distraem do ponto principal.

  1. Fique focado

Qual é a grande idéia da pregação?

As mensagens que mais impactam os adolescentes não são aquelas em que você prega um sermão de 52 minutos sobre tudo o que eles precisam saber sobre a vida. As melhores mensagens são focadas em um pequeno ponto específico.

Fale sobre um tópico até que ele esteja completamente dentro do coração dos jovens e de suas mentes.

Se você não pode resumir toda a mensagem em uma única frase, você ainda não está pronto para pregar.

  1. Use exemplos

Dê exemplos práticos ao longo da mensagem.

Muitos adolescentes, especialmente no início da adolescência, têm problemas com pensamentos abstratos. Os adolescentes precisam de exemplos concretos para ajudá-los a entender o que você quer que eles façam. Eles precisam de itens de ação específicos para ajudá-los a aplicar a mensagem ao seu dia-a-dia.

Se você está falando sobre servir, fale sobre como alguém que atende fielmente. Se você está falando de inimigos amorosos, dê um exemplo de como eles poderiam mostrar amor para seu irmãozinho irritante ou o bully da escola.

Pense em seu mundo e dê-lhes algumas idéias simples e práticas sobre como eles poderiam aplicar o que eles aprendem.

Esboço de pregação para jovens

Em revisão, aqui está uma lista de verificação rápida. Faça essas perguntas para avaliar sua próxima mensagem.

  • Alguma coisa se sente inautêntica?
  • Onde eles irão interagir?
  • Que histórias estou dizendo?
  • Isso é engraçado?
  • Isso é muito longo, repetitivo ou desnecessário?
  • Qual é o único ponto desta mensagem?
  • Como estou desafiando-os a aplicar isso?
Gostou? Compartilhe!
Esboço de sermão

Esboço de sermão

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 4 minutos

Veja agora como preparar um ótimo esboço de sermão. Diversas pessoas diariamente pesquisam na internet muitas formas de como fazer um esboço para sermão eficiente e que realmente irá funcionar, foi com este propósito que foi criado este artigo, para que sempre que for preciso encontrar alguma informação que irá te auxiliar a desenvolver uma mensagem para o povo de Deus, você encontre aqui..

Diversos métodos foram criados e desenvolvidos justamente para ajudar as pessoas a elaborarem uma melhor mensagem para constar em seu sermão cristão.

Organize os esboços de sua pregação

Antes de tudo é importante informar sobre que os intuitos das técnicas de preparação de esboços não pretendem fazer com que o Espírito Santo se torne um mecanismo, mas sim para te ajudar a organizar as mensagem que ELE colocar no seu coração.

Veja por exemplo como Paulo diz no livro de Atos 17:23 pregando sobre o Deus Desconhecido, isso fez com que os pagãos de Atenas se atentassem para sua mensagem.

Assim como também Estevão informa em Atos 7 pregando de maneira totalmente organizada, ele faz a narração da história de Israel desde Abraão até Jesus, o Messias prometido que as pessoas rejeitaram e decidiram crucificá-lo

Esboços de Pregações Prontos

É possível que você também encontre esboços de pregações prontos pela internet, mas lembre-se que eles devem ter alguns fatores importantes que são:

A parte importante para o pregador

É importante que você tenha em mente que todo ministro da palavra de Deus precisa ser organizado, se conseguir deixar sua mensagem bem clara e de forma simples, irá facilitar e muito para todos os ouvintes, permitindo que eles entendam completamente a palavra que Deus colocou em seu coração para pregar para elas. Também é importante informar para os pregadores iniciantes que esta técnica também irá ajudá-los a ter um controle bem maior sobre o nervosismo e a ansiedade.

A parte da mensagem importante para os ouvintes

Saiba definir claramente a parte da mensagem que será importante para as pessoas que irão ouvir sua pregação, nada de criar sempre as mesmas frases e pregações que já foram utilizadas muitas vezes por diversas pessoas, por mais que você não acredite, as pessoas que estão ouvindo normalmente são muito atentas e sempre sabem quando uma mensagem já foi utilizada mais de uma vez, isso fará com que você perca credibilidade e mais importante ainda, que Deus não consiga passar a mensagem que Ele deseja ao coração dessas pessoas.

Toda a mensagem deve ser organizada em tópicos e temas da mensagem, isso irá permitir que as pessoas que irão ouvir sua pregação as compreendam de uma forma muito simples.esboco de sermao

Como Preparar uma Pregação no Passo a Passo

Veja agora algumas dicas de como você deve criar os seus sermões, eles são divididos nas seguintes partes:

Texto principal

Nele será feito a introdução e o desenvolvimento de todo o assunto que será falado na pregação, é importante que você os divida em três tópicos:

Tópico 1

Tópico 2

Tópico 3

Esses são os três principais e recomendados tópicos que sua pregação deve ter, se forem necessários, não tem problema em criar mais do que isso, mas nunca é bom ter mais do que cinco, sua pregação poderá ficar cansativa e dificultar a compreensão das pessoas que estarão ouvindo sua pregação.

Para que você tenha uma boa mensagem é preciso primeiro saber exatamente sobre o que é o texto Bíblico e para isso é necessário fazer uma interpretação de todo o contexto.

Conclusão

Após ter feito todas essas etapas, é o momento de escrever a parte do fechamento da mensagem, ela é muito importante pois é onde tudo o que foi pregado fará sentido e Deus irá trabalhar para mudar a vida dessas pessoas.

O esboço da conclusão deve ser o menor possível. Um bom exemplo disso é fazer o uso de uma frase para cada parte da mensagem. Você também pode determinar um tópico fazendo a representação dele por apenas uma única palavra. O esboço nada mais é que o “esqueleto” da mensagem.

Você irá colocar tudo que for necessário para te lembrar todo o conteúdo que foi pregado durante este sermão. Caso alguma palavra ou frase não seja boa o suficiente para suprir essa necessidade, é possível colocar outras palavras, mas faça isso com muito cuidado para que ela não fique grande demais e estrague a parte final da mensagem.

Logo se fizer demais a ferramenta que lhe seria muito útil irá se tornar um grande problema. Por isso crie um esboço pequeno e o deixe em um papel anotado ou faça a anotação em sua bíblia com o resumo da mensagem, no púlpito faça o uso apenas do resumo da mensagem, isso irá te ajudar a não se perder e prolongar a mensagem que não deve ser prolongada.

Se você tiver guardado apenas um esboço pequeno, ele pode acabar não sendo útil o bastante para lembrá-lo de todo o conteúdo de sua mensagem.

Lembre-se que o fator principal que irá determinar o real poder o poder da sua pregação é a vida de oração que o pregador tem com Deus.

Apelo

Esse é o momento que vem após a conclusão da pregação, onde será feita a proposta para as pessoas de aceitarem Jesus como o seu Único e Suficiente salvador, então faça da forma correta se deixe que Deus lhe guie durante esse momento.

Exemplos de esboço para sermão pronto

Veja agora um passo a passo de como criar um esboço do sermão de Naamã Sermão na Prática

TÍTULO — A FRAQUEZA DE UM HERÓI

TEXTO — II REIS 5:1-17.

Tema sobre qual vou abordar – A Libertação de Naamã.

INTRODUÇÃO— NAAMÃ — comandante do rei sírio, Ben-Hadade, rei de

Damasco, e inimigo declarado de Israel.

OT — Naamã ansiava libertar-se de seu mal incurável.

OT — Observemos no texto Bíblico o desejo de Naamã de ficar livre de seu mal incurável.

I. A CONDIÇÃO DE NAAMÃ – 5:1

a)Exaltado diante dos homens / miserável diante de

a)Comandante do Exército;

b)Grande homem diante do seu senhor;

c)Grande herói da guerra;

II. O MAIOR DESEJO DE NAAMÃ

Libertar-se da lepra;

a)Considerou o testemunho de uma escrava —5: 2,4;

b)Deixou a Síria e partiu para Israel — 5: 5;

c)Dirigiu-se à casa do profeta Eliseu — 5:9.

III. A INDIGNAÇÃO DE NAAMÃ

a)Os conceitos de Naamã —  10,11

b)Os valores de Naamã —  12

IV. A LIBERTAÇÃO DE NAAMÃ

a)Naamã arrepende-se —  13,14

b)Naamã obedece —  14b

c)Naamã é purificado —  14c

V. A TRANSFORMAÇÃO DE NAAMÃ

a)O reconhecimento de Naamã —  Isa

b)A gratidão de Naamã —  15b

c)A adoração de Naamã —  17

CONCLUSÃO

Identificar Naamã e sua condição de leproso com o pecador e a sua condição de iniqüidade. Discorrer sobre os passos que deu Naamã até alcançar a sua libertação, aplicando ao pecador.

Veja agora um esboço de sermão para você copiar e preencher com seu próprio conteúdo.

Uso cores para destacar na visualização da mensagem e não ter que se esforçar muito para localizar.

-Tema:    
Título
Texto bíblico
-Introdução:

Pergunta de transição?
Transição para os tópicos:

1- tópico 1: versículo base
Argumentação.
(citações bíblicas)
Afirmação do tópico!
                             
2- tópico 2: versículo base
Argumentação.
(citações bíblicas)
Afirmação do tópico!

3- tópico 3: versículo base
Argumentação.
(citações bíblicas)
Afirmação do tópico!

Afirmação conclusiva!

-CONCLUSÃO:
Argumentação resumindo o sermão.

INTERPRETAÇÃO BÍBLICA e conclusão

Agora que você tem um esboço completo, no final faça essas perguntas básicas para saber se tudo terá um sentido no momento em que a mensagem for finalizada, veja agora:

-O quê? De que assunto trata o texto ou o que aconteceu.

-Quem? As pessoas que são faladas no texto. Você pode copiar os nomes delas fazendo uma lista ou grifar no próprio texto.

-Quando? Se texto mostra em que momento aconteceu ou que período estava sendo falado.

-Onde? Local onde aconteceu o fato ou foi escrito o texto.

-Como? Alguns detalhes de como aconteceu tudo ou o que está sendo dito no texto.

-Por quê? O objetivo da mensagem ou seu significado prático para a época e para as pessoas que são faladas no texto e como pode servir para nós hoje.

 

Quer baixar mais de 5.000 esboço de pregação?

Baixe grátis aqui

Senha para abrir o arquivo: serdivino.com.br

 

Gostou? Compartilhe!
Esboço de pregação evangélica 2

Esboço de pregação evangélica 2

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 3 minutos

Se você estivesse preparando um sermão, quais medidas você deveria tomar? Aqui estão algumas etapas importantes que irão te ajudar a se preparar para dar um sermão.

Pregação evangélica – O essencial da oração

Não há nada mais importante na vida do que a oração e, portanto, quanto mais importante é a pregação, mais oração deverá ser feita na preparação do sermão. Nosso Maestro supremo é o Espírito Santo e, portanto, peça a Deus o Espírito Santo para iluminá-lo, guiá-lo e dar-lhe uma visão sobre o que a mensagem deve ser sobre.

É possível ler em alguns capítulos e versículos da Bíblia e, de repente, algo apenas lhe mostrar algo que você nunca viu antes. Mesmo que você possa já ter lido essa passagem muitas vezes, é como se uma lanterna estivesse ligada em certo verso ou palavra e o significado do verso simplesmente pule de sua página. Alguns especialistas dizem que antes de uma pessoa estudar a Bíblia, seja um pregador ou não, eles deveriam pedir a Deus para que o Espírito Santo lhes dê ajuda para entender o que está escrito para que possamos transmitir isso para aqueles que ouvirão uma mensagem sobre isso ou estes versos que Deus quer que eles ouvirem.

Esboços bíblicos – Use diferentes traduções e uma Bíblia de estudo

Se você for dar uma pregação sobre a perseguição, veja uma passagem em diferentes traduções. Às vezes é útil ver como essas passagens estão escritas em diferentes traduções.

Mesmo a Bíblia Viva, que é uma paráfrase, pode fazer parecer que alguém está escrevendo isso especialmente para você, embora já se tenha ouvido que as Bíblias parafraseadas não são boas para ser usadas em sermões. Você pode usar uma Bíblia de estudo para ver o que o comentário diz sobre certos versos. Embora as notas de estudo não sejam inspiradas por Deus, elas podem inspirar você a pensar em algo a ser adicionado sobre os versículos em que você está pregando. Algumas bíblias possuem margens no meio que têm referências bíblicas para outras passagens bíblicas que irão te ajudar a esclarecer ou dar mais significado ao versículo ou aos versículos que você está estudando. Além disso, algumas Bíblias possuem notas numeradas que mostram traduções ao grego, hebraico ou aramaico originais de uma certa palavra e que podem tornar a passagem mais clara. Você também pode pesquisas em sites para te ajudar a encontrar diversos significados adicionais de palavras gregas, hebraicas ou aramaicas que podem esclarecer uma palavra que de outra forma pode ser simplesmente lida.

Esboços de mensagens – Criar um contorno

Um professor de seminário normalmente aconselha que você tenha a pregação inteira impressa. Porém é possível que você se sinta como se estivesse dando um discurso. Pois pode parecer que seja muito mecânico, mas algumas pessoas gostam e outras não, não há nenhum problema em relação à isso, é possível também fazer anotações diretamente em sua Bíblia. Vale a pena ressaltar certas seções da sua Bíblia e então (caso queira) fazer um desenho de uma linha para as seções em branco de cada página e colocar a palavra original em grego, hebraico ou aramaico ou para fazer um ponto sobre o que essa passagem está dizendo.

Faça o resumo com títulos simples; Dê uma breve palavra ou duas sobre o que é essa seção. Siga essa seção com as Escrituras que você vai usar. Você pode fazer isso de diversas formas, caso queira é possível que as Escrituras sejam lidas fora da Bíblia porque há menos margem de erro se você lê-lo da Bíblia do que fazer as Escrituras impressas em seus contornos porque podem conter erros de digitação ou deixar e/ou inserir palavras adicionais.

Esboço de pregação – Escolha uma Bíblia e coloque-a como a principal de sua pregação

Como falamos e já sabemos, existem diversas traduções para a Bíblia, muitas delas não lhe dão algumas opções de tradução, mas use a que você se sentir mais à vontade para fazer sua pregação.

Dica para pregação forte – Pratique a pregação

Quando você revisar seu sermão, faça isso em voz alta ou então faça a leitura dele para outra pessoa. Uma boa forma de praticar é você pegar algumas partes de seu sermão para você mesmo ler em frente a um espelho. Isso ajuda a ensaiar o que você vai dizer e como você vai dizer isso. Não dói ter uma audiência ao vivo ou dar a alguém em sua família a chance de ver seu esboço e perguntar o que eles pensam. Não se importe com algumas críticas construtivas porque muitas vezes alguém pode ver algo que você possa ter perdido e não visto, por mais óbvia que ela seja. É difícil ser objetivo com seu próprio trabalho, mas outro conjunto de olhos e ouvidos realmente podem te ajudar.

A coisa principal é manter a mensagem principal em foco

Se o sermão não é centralizado biblicamente, Cristo elevando e Deus glorificando, então, qual é o objetivo? Se você quer falar sobre a santidade de Deus, a necessidade do arrependimento, o motivo da cruz e o perdão dos pecados, então não insira o que você pensa, apenas inclua o que Deus diz.

Por exemplo, se a mensagem não é sobre Cristo e Ele crucificado, então, quais outros assuntos você acha que são mais importantes do que isso? Algumas pessoas possuem vários versículos memorizados e, quando digo a mensagem, às vezes me refiro a passagens-chave sobre os fundamentos da fé, Romanos 10: 9-13, 2 Coríntios 5:21, 1 João 1: 9, Romanos 5: 8 -10, e Atos 4:12. Se você olhar para isso, você pode ver por que isso é especialmente importante para uma boa pregação.

Escolha três pontos

Ninguém pode se lembrar de um sermão com mais de três pontos e geralmente eles vão se lembrar do seu último ponto para torná-lo o mais importante. Caso você tenha visto ou criado uma pregação com mais de dez pontos, saiba que será quase impossível lembrar mais de três pontos em qualquer sermão, principalmente as pessoas que estão ouvindo. Se você tentar criar muitos pontos, o sermão vai perder qualidade e a maior parte será esquecida, mas se você disser com antecedência que você tem três pontos, é mais fácil para as pessoas entenderem e seguir sua linha de pensamento. O capítulo e o verso da Bíblia são mais importantes do que os pontos, então assegure-se de que as Escrituras possam ser encontradas citando claramente o livro, capítulo e verso (s). Charles Swindoll (um pastor evangélico renomado nos Estados Unidos) disse uma vez que “uma névoa no púlpito coloca uma névoa no banco”.

Dica para pregação evangélica forte

Quando você faz a pregação, certifique-se de que as pessoas irão ouvir claramente o que está no livro, capítulo e verso que você está usando. Diga aos seus ouvintes que você estará se voltando para, digamos, Romanos 10: 9 e depois dê tempo para encontrá-lo. Você pode dizer algo sobre o que você vai falar, para que tenham tempo para encontrar o livro, capítulo e verso.

É mais benéfico que eles estejam lendo junto com você porque o poder real não está no pastor ou pregador, mas na Palavra; Está sempre na mensagem e nunca no mensageiro. Liberte o poder da Palavra.

Sua opinião não é mais importante do que um apresentador de talk show falando sobre a moda mais nova em Hollywood, então tenha certeza de que você está pregando diretamente da Palavra de Deus, pois essa é a única opinião que, em última instância, é importante.

Tenha em mente que você é apenas um subconsultor para o Grande Pastor e é a Sua igreja, não a nossa, e em última instância, somos apenas os responsáveis pelas mensagens que são pregadas pela permissão de Deus.

Quer baixar mais de 5.000 esboço de pregação?

Baixe grátis aqui

Senha para abrir o arquivo: serdivino.com.br

Gostou? Compartilhe!
Esboço de pregação evangélica

Esboço de pregação evangélica

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 5 minutos

O esboço de pregação nada mais é do que um roteiro para que o pregador não se perca durante a sua pregação, ou até mesmo para que ele não se esqueça de nenhum dos pontos chaves de sua mensagem. De uma forma mais simples, o esboço da pregação nada mais é do que as ideias da pregação e suas referências.

Veja como é a estrutura para se criar um esboço de pregação.

Esboço de pregação - dicas de pregador

Como fazer esboço de pregação?

  1. Crie o título e defina o tema da mensagem;
  2. Tenha o texto base escrito;
  3. Crie a introdução de sua pregação;
  4. Tópico 1;
  5. Tópico 2;
  6. Tópico 3;
  7. Ilustração é um ponto importante para fazer uma pregação;
  8. Conclua a pregação de forma que tudo o que foi falado esteja coerente.

Iremos verificar agora cada um dos pontos citados acima sobre o esboço da pregação:

Título da mensagem

É o título da pregação que será falada, ou o “nome da mensagem”. Em muitos casos é possível que o título da pregação seja falado no início de seu sermão, porém algumas vezes não é necessário mencioná-lo. Mas é importante que ela esteja presente no seu esboço. É bom para que seja determinado uma direção em sua mensagem e também isso irá facilitar depois a escolha de um esboço entre diversos que será possível tem guardado.

É necessário ter em mente que quem irá pregar deve ter o assunto que irá mencionar de uma forma muito clara e simples. Não basta ler um versículo qualquer e subir ao púlpito. É até possível que Isso aconteça, e Deus por sua infinita misericórdia pode usar o irmão, mas não deve ser uma regra a ser seguida. Caso o pregador comece a falar sobre um assunto e depois ele mencione outro, e depois outro, vai chegar no final de sua pregação e nenhuma mensagem real será passada para a vida das pessoas, nada do que foi dito será útil e não edificará nenhuma alma presente na igreja, por isso é muito importante que se tenha um tema definido para sua pregação.

Exemplo de tema: O AMOR DE DEUS

Texto base:

Para cada pregação é necessário que se tenha um texto bíblico como base. Isso é a parte fundamental que deve existir, pois somente ela irá dar autoridade para a mensagem que será pregada. Comumente é aconselhável que o texto seja pequeno ou curto: 1 ou 2 versículos, em alguns casos ele pode também passar de 3. Raramente deve-se fazer o uso de um capítulo completo. Apenas faça isso quando o capítulo todo possuir relação com o assunto que será mencionado na pregação. Por exemplo, caso a mensagem seja sobre a oração do Pai Nosso, não é necessário fazer a leitura de todo o capítulo 6 de Mateus.

Exemplo de texto base: João 3.16

Introdução:

A introdução nada mais é do que a parte que irá direcionar o caminho de toda sua mensagem. É possível fazer isso de diversas maneiras distintas a parte inicial de uma pregação. Por exemplo: “Nesta noite, eu gostaria de compartilhar com os irmãos a respeito do assunto tal…” ou “No texto que acabamos de ler, temos as palavras a respeito…”

É comum que a parte inicial, principalmente a primeira frase seja uma das partes mais difíceis de se criar. Por mais que se tenham diversas alternativas, o ideal é fazer com que a introdução seja um versículo ou frase que irá prenda de imediato a atenção dos ouvintes, despertando-lhes o interesse de ouvir todo o restante da pregação.

A partir desse momento já é possível criar uma ilustração, um relato interessante sobre algo que esteja relacionado diretamente com a mensagem da pregação. Uma outra forma muito boa para se iniciar o sermão é começar com uma pergunta para as pessoas que irão lhe ouvir, cuja resposta será feita pelo próprio pregador durante sua mensagem. Caso seja uma pergunta muito interessante, ela irá atrair a atenção de todo o povo, o que fará com que o interesse deles estejam garantidos até o final da mensagem.

Exemplo de introdução: “Você já parou para pensar como o amor de Deus é grande? Tudo o que Deus criou foi devido ao seu amor por nós. Ele nos ama de tal maneira que não quis nos deixar sozinhos e por isso que ele enviou seu Único Filho para nos salvar. Você já sentiu o amor de Deus em sua vida?”

Tópicos:

Os tópicos são as divisões lógicas da mensagem, ou a divisão mais lógica possível do sermão. Existem muitas outras formas de pregação como a expositiva que segue a ordem do texto bíblico. Porém fazer a divisão em três tópicos é o mais aconselhável pois ela possui um número pequeno, fazendo com que as pessoas tenham mais facilidade de acompanhar o raciocínio do pregador, sem que o foco se perca durante a mensagem. É possível até mesmo mudar esse número, porém o resultado disso poderá ser uma mensagem muito complexa. Os tópicos precisam ser organizados na ordem que faça com que o desenvolvimento do tema aconteça de forma natural, assim os ouvintes irão conseguir compreender gradualmente o assunto até que ele seja concluído.

É possível que em algumas mensagens, os tópicos tenham argumentos a favor de uma ideia que se queira fazer defesa utilizando o sermão. Será melhor ainda caso eles estejam de uma forma organizada e em sequência, deixando os pontos mais importantes para o final da mensagem, dessa forma a pregação será mais consistente e interessante para todas as pessoas que estiverem ouvindo, no momento da conclusão todos terão entendido sua pregação e saírão abençoados da casa do Senhor.

Na transição de um tópico para outro utilize perguntas sobre o que foi falado para o ouvinte refletir sobre o tópico em sua vida pessoal e seguida à pergunta faça uma ‘afirmação do tópico’, por exemplo: ‘Você tem fé?’ ‘Creia, pois tudo é possível ao que crê!’. Certamente você ouvirá muitos ‘améns’ após esta parte e estará pronto para o próximo tópico.
Não demore muito em um tópico. Se você usar seu melhor argumento logo no início, sua mensagem ficará fraca no final. Em alguns casos, o próprio texto bíblico já tem sua própria divisão, que usaremos para formar nossos tópicos.

Veja o exemplo de uma divisão natural situada em João 3.16:

1 – Deus amou o mundo
Disserte sobre o amor de forma geral e depois sobre o amor de Deus.

2 – Deu o seu Filho Unigênito
A ação do amor de Deus. O que acontece quando ele ama, seu amor não é apenas teoria.

3 – Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna
Comente sobre o objetivo e resultados das ações de Deus.

Esse versículo é muito rico. É possível elaborar muitas e muitas mensagens dentro dele. É realmente importante prestarmos atenção a esse detalhe. Se tivermos um entendimento muito profundo a respeito de um versículo, é melhor elaborar mais de um sermão do que tentar colocar tudo em um só, fazendo uma mensagem muito longa ou complexa, principalmente quando o texto permitir vários ângulos de abordagem, ou contiver mais de um assunto. Só para termos alguns parâmetros, sugerimos a duração de trinta ou quarenta minutos para um sermão. Já um estudo bíblico pode durar uma hora aproximadamente. Certamente o Espírito Santo pode quebrar esses limites, mas é necessário ter certeza de que é ele mesmo quem está no controle da mensagem.

Ilustrações:

As Ilustrações nada mais são do que pequenas histórias que irão explicar de uma forma mais simples sobre o assunto da mensagem ou irão reforçar a sua importância. Como alguém já disse, as ilustrações são as “janelas” da pregação. Através delas entra a luz, permitindo que a mensagem se torne mais clara, mais compreensível. Muitas vezes, os argumentos que é usado pode ser difícíl ou obscuro, mas, quando uma ilustração é inserida, tudo se torna mais fácil para o ouvinte.

Existem muitas “historinhas” por aí que de fato nunca aconteceram e são constantemente usadas para ilustrar pregações. Não há problema nenhum em fazer uso delas. O seu uso pode ser comparadas às parábolas bíblicas. Porém é necessário que o pregador diga que aquilo é apenas uma ilustração e não comente sobre o assunto como se realmente estivesse na Bíblia.

As ilustrações são um ponto muito importantes, pois elas são responsáveis por despertar o interesse dos ouvintes, tirando as distrações e ficando gravadas na memória. Pode ser que, na segunda-feira, os irmãos não se lembrem de grande parte do sermão de domingo, porém será muito mais fácil se lembrar das ilustrações mencionadas, dos casos contados como exemplo, e, juntamente com essa lembrança, o ensinamento será lembrado .

Um outro ponto que deve ser observado: não é bom fazer o uso de muitas ilustrações na mesma pregação, pois a mesma pode perder sua consistência e isso seria mais uma coleção de contos. Como citado anteriormente, ilustração é luz, e luz demais pode ofuscar a visão.

Esboço de pregação - passo a passo

A conclusão é o ponto principal de sua mensagem, ela é a parte final. Não basta fazer como diversos pregadores já falaram: “Pronto! Terminei.” A conclusão é a idéia ou conjunto de idéias que foram construídas a partir dos argumentos que foram utilizados durante sua mensagem.

É necessário que nessa parte seja feita uma citação rápida de todos os tópicos, para que eles sejam fechados e finalizados de forma clara e coerente. Nesse momento também é muito comum convidar para o posicionamento dos ouvintes em relação ao tema. Porém ainda não é o momento do apelo.

O pregador irá incentivar todas as pessoas a tomarem determinada decisão e ter uma atitude em relação ao assunto pregado. Após finalizar esse incentivo, dessa proposta, o assunto está encerrado e o apelo pode ser feito, se for o caso, ou então ir para a oração final.

Exemplo de conclusão: O amor de Deus é incondicional. Ele sempre nos amou e sempre nos amará. É um amor infinito. Desde a criação da humanidade quando por amor nos criou à sua semelhança, até a encarnação de Jesus para morrer em nosso lugar e eternamente Deus nos amará.

Quer baixar mais de 5.000 esboço de pregação?

Baixe grátis aqui

Senha para abrir o arquivo: serdivino.com.br

Gostou? Compartilhe!
Pregação evangelica. O que é pregação?

Pregação evangelica. O que é pregação?

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 5 minutos

Ao contrário da sabedoria popular, a boa pregação tem pouco a ver com a eloquência, a moda ou a duração de um sermão. A boa pregação evangélica é sobre conteúdo e postura. Por conteúdo, quero dizer, “sobre o que é a mensagem?” e por postura eu quero dizer, “como essa mensagem será desenvolvida?” O crítico de cinema Roger Ebert disse que um filme não é o que se trata, mas como ele irá elaborar o assunto do filme. Em outras palavras, o que torna um filme ruim ou bom não é principalmente o tema que ele irá abordar, mas como ele vai apresentar seu conteúdo.

Da mesma forma, um pregador pode pregar em quase todos os assuntos encontrados nas Escrituras, desde que ele faça isso em uma postura bíblica. A boa pregação evangélica vai com o grão da Bíblia. Então, não devemos ser irreverentes em todo assunto da Bíblia. Não devemos falar como se estivéssemos bravos onde a Bíblia não demonstra raiva. Nós sorrimos onde a Bíblia sorri, e nós gritamos onde a Bíblia grita. (Alguns pregadores apenas pregam sermões sorridentes ou sermões irritados, o que mostra que eles não estão realmente pregando as Escrituras fielmente). A boa pregação depende do conteúdo (as palavras da Bíblia Sagrada) e da postura (no sentido bíblico). É isso que é a boa pregação.

O que é pregação evangélica?

A pregação evangélica é a forma como a pessoa irá falar sobre determinado assunto que está descrito na Bíblia, seja uma palavra de conforto, exortação, ensino, avivamento e todos os diversos assuntos que a palavra de Deus aborda.

Como a pregação evangelica deve parecer?

Veja agora algumas formas de como a palavra de Deus deve ser pregada:

Presente

Sim, por mais que os dados bíblicos tenham ocorrido no passado, a palavra de Deus se renova a cada dia e ainda é muito valiosa para nossas vidas. Por isso ela se move rapidamente do passado para o presente. Estes não são sermões que são ocupados com grandes quantidades de história, geografia e cronologia. Eles podem começar lá atrás no passado, mas se mover rapidamente para o aqui e agora.

Os ouvintes percebem que o sermão é sobre seu atual momento, o agora. Ele está ligado ao presente é relevante, tem impacto sobre as pessoas e é a melhor forma de se falar dos dias atuais e desta época. Martin Lloyd-Jones (um teólogo evangélico europeu renomado) costumava falar de que tais sermões estavam no “tempo urgente”, e isso realmente é o que deve ser comunicado. Devemos mostrar que a Palavra antiga se conecta com o mundo de hoje e é relevante tanto para o presente como para o futuro.

Pessoal

Esses sermões também devem ser pessoais. Começamos por explicar a Palavra como originalmente dada aos israelitas, aos discípulos, etc. Começa com “eles” e “elas”. No entanto, na pregação evangélica evangelística, nos movemos rapidamente para “você”.

Sabemos que todos que vão nas igrejas se sentam, cantam louvores e ouvem sermões sobre os filisteus, os israelitas, os coríntios e os filipenses, e as vezes se perguntam: “E quanto a mim? Isso tem algo a dizer aos brasileiros, americanos, escoceses, africanos, etc.? “Ao ensinar as pessoas de Deus, podemos passar mais tempo explicando o ensino como aplicado aos ouvintes originais. Mas quando estamos indo atrás das almas perdidas, temos de avançar mais rapidamente, é necessário se envolver mais rapidamente, temos que mostrar relevância no assunto falado.

Além disso, quando nos dirigimos aos não convertidos na nossa frente, devemos trabalhar especialmente para nos afastarmos de ler nossas anotações. Quando somos atraentes, suplicando, discutindo e raciocinando de forma muito pessoal com os incrédulos – que seja um olho para o globo ocular “, nós lhe pedimos.” Não deixe o papel entrar no caminho, distrair e quebrar o contato visual. Faça com que a pregação realmente seja algo pessoal para que as pessoas realmente entendam “ele está falando comigo”.

Também podemos torná-lo pessoal ao entrar nas mentes de nossos ouvintes e dizer coisas assim: “Bem, você está sentado, está pensando que você está … não é? Mas isso é o que a palavra de Deus diz. “Ou” Você está aqui hoje e você está ouvindo isso e você está sentindo assim e assim … “. E a pessoa sentada lá diz:” Ele está pensando em mim. Ele sabe como eu penso, ele sabe como eu me sinto; Ele está preocupado em abordar o que está acontecendo na minha mente”. Mais uma vez, isso torna a pregação evangélica íntima e muito pessoal.

Persuasivo

Na pregação evangelística, o grande objetivo é a persuasão. Grande parte de tais sermões será retomada com Atos 2:38 do tipo suplicante, suplicante, argumentando e raciocinando. Não é só, “Aqui estão alguns fatos; levá-los ou deixá-los “, como se fossemos apenas transportadores desapaixonados de informações. Estamos aqui para persuadir. As pessoas devem ver nossa ansiedade de que elas respondem ao evangelho na fé e no arrependimento.

Apaixonado

Para ser realmente persuasivo, também devemos ser apaixonados. Deixe as pessoas verem que nos sentimos assim profundamente, que tememos por seu estado eterno, que estamos ansiosos por eles e que os amamos profundamente. Deixe que isso seja comunicado em nossas palavras, mas também em nossas expressões faciais, nossa linguagem corporal e nosso tom.

Não estamos falando sobre como deve ser sua ação; Isso deve vir naturalmente. Às vezes, antes de pregar um sermão evangelístico, é bom passar algum tempo tentando pensar em almas perdidas e não incrédulas que estão pelo mundo afora, e até mesmo em indivíduos particulares. É possível tentar ver seus rostos (muitas vezes personagens encantadores por natureza – pessoas úteis, gentis e amorosas – mas perdidas). Alguns os imaginam morrendo, indo ao julgamento, e depois os seus rostos enquanto ouvem o veredicto. Então vem a parte de pensar na parte em que eles se afundam no poço sem fundo, sendo queimados no fogo eterno, indo para a companhia do diabo e seus anjos. É possível vê-los lá, até mesmo ouvi-los. Às vezes, pode pensar em alguns membros de sua família que não estão salvos, apenas para tentar trazer para sua pregação a realidade e a enormidade da situação das pessoas que ainda não foram salvas. Se pudermos realmente sentir isso mesmo, seremos apaixonados por nossa alegação, nosso amor e nosso raciocínio.

Poderoso

Quando entramos no púlpito para a pregação evangélica, não vamos na defensiva e pedimos desculpas. Sim, pode ser um sermão “apologetico”, mas não pedimos desculpas pela verdade. Quando vamos na frente dos pecadores com o evangelho, não vamos encontrar como se tivéssemos algo para esconder ou ter medo. Não vamos nos proteger e qualificar. Não vamos “discutir” ou “compartilhar”. Pregamos com autoridade poderosa, ousada e divina. As pessoas precisam ouvir: “Assim diz o Senhor”. Esta não é uma opção, não é apenas mais uma ideia; Esta é a verdade, toda a verdade e nada além da verdade.

Perseverante

E deixe nossas pregações também se caracterizarem pela perseverança. Nós pregamos. Ninguém foi convertido. Nós fazemos isso de novo. Nós pregamos. Ninguém foi convertido. Nós fazemos isso novamente, e novamente, e novamente.

Com que frequência você deve pregar um sermão evangelístico? Isso dependerá em grande parte do contexto. Uma vez por semana provavelmente é muito se você e sua igreja não estiverem acostumados a isso. Mas e uma vez por mês? E você pode dizer a sua congregação que, em uma manhã ou noite, isso será um sermão para os não convertidos, para que os cristãos pensem: “Eu posso levar meus amigos para isso. Isso é algo que eu sei que meu amigo poderia ouvir com algum entendimento”. Faça isto de forma regular e faça os outros saberem que é isso que você irá fazer.

Intercessor

Acima de tudo, é claro, a pregação evangelística é ser orante – antes, durante e depois. Ore para ser libertado do medo do homem. Ore para que Deus lhe dê uma paixão pelas almas. Ore para que você possa se comunicar de forma natural, fácil e livre. Ore para que você receba uma audiência para o evangelho e que você possa apresentar Cristo para que você “desapareça”. E ore depois que a semente semeada produzir uma colheita de almas salvas e que a igreja será revivido e acumulado.

“Aqueles que são sábios reluzirão como o brilho do céu, e aqueles que conduzem muitos à justiça serão como as estrelas, para todo o sempre” (Daniel 12: 3).

Dicas para boas pregações evangélicas

Veja agora uma excelente dica para que sua pregação alcance verdadeiramente mais almas para nosso Senhor Jesus Cristo, para isso ela deve ser uma pregação planejada.

Não basta simplesmente abrir a bíblia e repassar o que está escrito nela, é necessário que vocÊ saiba exatamente o que falar e como falar, sobre o que é o tema e como ele aconteceu, após saber disso você irá levar todo esse entendimento para diversas pessoas.

A pregação evangélica deve ser clara. Se amamos os pecadores e estamos ansiosos para serem salvos, seremos claros e claros em nossa estrutura, conteúdo e escolha de palavras. Se pudermos usar uma palavra menor, a utilizamos. Se pudermos encurtar nossas frases, fazemos isso. Se pudermos encontrar uma ilustração, iremos mostrá-la. Tudo se destina a simplicidade e clareza, de modo que, como foi dito de Martinho Lutero, pode-se dizer de nós: “É impossível compreendê-lo”.

E este é um trabalho cansativo e que necessita muito esforço. As pessoas podem pensar às vezes que os sermões doutrinários são mais difíceis de preparar e pregar do que os sermões evangelísticos. Não se você realmente vai editar e modificar até que sua mensagem comunique a verdade mais profunda da maneira mais simples possível. Isso envolve trabalho real, suor, trabalho e lágrimas. Em Pregação e pregadores, Martyn Lloyd-Jones escreveu:

“Se me perguntarem quais sermões eu escrevi, já disse que costumava dividir o meu ministério, me focava na edificação das escrituras pela manhã e um sermão evangelístico à noite. Bem, minha prática era escrever minha própria pregação. Fiz isso porque senti que, ao falar aos santos, aos crentes, podia me sentir mais relaxado. Ali estava falando no domínio da família.

Em outras palavras, eu acredito que alguém deveria ser excepcionalmente cuidadoso em sermões evangelísticos. É por isso que a idéia de que um sujeito que é meramente dotado de uma certa quantidade de linguagem e de autoconfiança, pode fazer uma pregação parecer que está tudo errado. Os maiores homens sempre devem ser os evangelistas, e geralmente foram; e a idéia de que qualquer irmão pode ser colocados para falar na esquina da rua, mas você deve ter um grande pregador em um púlpito em uma igreja é, para mim, a inversão da ordem correta. É ao abordar o mundo incrível que precisamos ter mais cuidado; e, portanto, eu costumava escrever meu sermão evangelístico e não utilizar dos outros.”

Exemplos de boas pregações evangélicas (vídeo ou áudio)

Veja algumas pregações evangélicas para edificar sua fé e para que você saiba algumas formas de como falar com as pessoas sobre a palavra de Deus.


Mas o que é a própria pregação?

Muitos teólogos e ministros definem a pregação de maneiras diferentes, mas tendem a pensar que a pregação é uma proclamação que exulta na exposição da glória de Deus.

Por isso não hesite em pregar a palavra do nosso Senhor Jesus e proclamar as boas novas para todo o mundo.

Gostou? Compartilhe!
Como criar um newsletter para sua igreja – Email marketing para igrejas

Como criar um newsletter para sua igreja – Email marketing para igrejas

Gostou? Compartilhe!
Tempo de leitura deste artigo: 2 minutos

É sempre interessante compartilhar algumas idéias breves sobre como criar seu próprio boletim de e-mail da igreja (Newsletter). Se o orçamento for um problema, você pode realmente criar seu newsletter de e-mail gratuitamente. O email pode ser uma excelente tática de marketing se bem feito, e como falamos em nosso artigo anterior, o marketing pode ser bom para a igreja alcançar mais vidas para nosso Senhor Jesus.

Os newsletter já existem por algum tempo. Alguns dizem que o marketing por e-mail está morto. Diversos especialistas discordam fortemente dessa afirmação. Se você tem um conteúdo de boa qualidade que vale a pena ler, as pessoas vão lê-lo. Toda solução de marketing por e-mail tem uma análise que é o caixeiro da verdade, seja qual for sua opinião pessoal.

Mas antes de tomar qualquer decisão de marketing tático sobre o uso de uma newsletter por e-mail, sua igreja precisa se perguntar a razão fundamental pela qual ela precisa de um boletim de e-mail.

Veja algumas dicas para a newsletter da sua igreja ser um sucesso!

  1. Descoberta de escopo

Decida o que quer dizer em sua newsletter e o que deseja que as pessoas façam como resultado. Faça uma decisão sobre a frequência com que sua igreja enviará um e-mail.

Descubra se sua igreja tem uma lista de e-mail existente, caso não possua uma lista de e-mail atual, você precisará contar sua igreja sobre isso e fornecer uma opção de inscrição fácil.

Investigue qual solução de marketing de e-mail é melhor para sua igreja. Pense a funcionalidade primeiro. MailChimp é ótimo se você quiser uma solução gratuita de newsletter da igreja. Eles têm uma solução “para sempre” grátis para até 2.000 assinantes. Tem também o BombBomb que se sincroniza com o sistema de banco de dados da igreja e consegue ajudar a rastrear e fazer o mapa de assinantes sem duplicar outro sistema de banco de dados. Constant Contact é outra plataforma que é muito bem avaliada pelos usuários.

  1. Wireframing

Comece a esboçar mais ou menos o que sua igreja quer que sua newsletter olhe em blocos de informações. Não se preocupe com cores ou fontes. Isso virá. Pense em qual é o conteúdo mais importante que deseja compartilhar com seu público.

  1. Design

Há uma abundância de modelos existentes que você pode adicionar seu logotipo gratuitamente, ou atualizar com ajustes mínimos. Se você tem o orçamento, você também pode ter um newsletter informativo personalizado personalizado. A recomendação de diversos especialistas é que o seu newsletter deve fazer parte da sua identidade de sua igreja, quanto mais alinhado com a congregação, melhor.

  1. Redação

Lembre-se ao escrever a newsletter da sua igreja que a brevidade é sua amiga. Escrever para a web é muito diferente de escrever para imprimir, então seja breve e direto.

  1. Desenvolvimento

Se sua igreja teve seu próprio newsletter projetado, você precisará dele codificado e configurado em sua solução de marketing por e-mail. Existem muitos designers gráficos que também são codificadores que podem fazer isso.

  1. Lançar, medir e rever

Então sua igreja tem uma lista de e-mail. Você criou, desenvolveu e escreveu seu primeiro newsletter e acabou de enviar. Excelente trabalho! Agora é a hora de analisar suas publicações. A maioria das soluções irá dizer-lhe onde as pessoas estão clicando, o que significa o conteúdo que eles acham útil. Você pode revisar o conteúdo de acordo.

Conclusão

Tendo todas essas dicas em mente, é possível criar uma newsletter de qualidade para sua igreja e manter todos os participantes sempre interagindo com o site da sua igreja.

Melhores ferramentas de email marketing

Como usar email marketing grátis (passo a passo)

Curso de MailChimp para fazer Email Marketing grátis

Gostou? Compartilhe!